Van autônoma das Paralimpíadas atinge atleta cego na Vila Olímpica

CEO da Toyota pede desculpas e diz que tecnologia ainda “não é realista” para ruas reais

Por REDAÇÃO AB
  • 30/08/2021 - 16:00
  • | Atualizado há 2 semanas, 2 dias
  • um minuto de leitura


    As Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio se destacaram, entre outros motivos, por oferecerem diversas soluções de mobilidade diferentes para o transporte de atletas, comitivas e imprensa. Na última quinta-feira, porém, aconteceu algo inusitado: uma das vans autônomas atingiu uma pessoa enquanto fazia seu itinerário.

    De acordo com nota oficial emitida pela organização, o veículo, que andava “a cerca de um ou dois quilômetros por hora”, atingiu o atleta japonês Aramitsu Kitazono, que possui deficiência visual, enquanto ele atravessava uma faixa de pedestres. Com hematomas, Kitazono deixou de competir no fim de semana.

    Os e-Palettes são veículos elétricos autônomos, com capacidade para 20 pessoas, que circulam apenas dentro da Vila Olímpica e Paralímpica, levando atletas de um ponto para outro. Apesar de autônomos, eles possuem um funcionário que permanece a bordo durante os trajetos para monitorar o funcionamento e impedir acidentes. No episódio do atropelamento, o que aconteceu foi que eles não conseguiram acionar os freios a tempo.

    O CEO da Toyota, Akio Toyoda, postou um vídeo pedindo desculpas, onde diz que "isso mostra que os veículos autônomos ainda não são realistas para estradas normais". O serviço dos e-Palettes foi paralisado na quinta-feira, mas será retomado nesta terça (31/8) após novas medidas de segurança terem sido implementadas, segundo a organização.

    Entre as mudanças, agora os sons de alerta do veículo serão mais altos e as ações de acelerar e parar serão manuais em vez de automáticas. Além disso, coordenadores de tráfego humanos em cruzamentos aumentarão de seis para vinte.