Venda de motos recua apenas 1,1% em maio

No acumulado do ano, setor de duas rodas anota alta próxima a 8%

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 04/06/2018 - 17:20
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    A greve dos caminhoneiros comprometeu os números do fim de maio, mas ainda assim o setor de motos registrou 81,3 mil unidades emplacadas, o segundo melhor resultado do ano. Na comparação com abril houve pequena queda de 1,1%. A média diária de emplacamentos do mês foi de 3,9 mil unidades, após o pico anual de 4,1 mil anotado em abril.

    No acumulado do ano o setor teve 382,8 mil unidades licenciadas e registrou alta de 7,7% sobre os mesmos cinco meses do ano passado. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.


    - Faça aqui o download dos dados da Fenabrave
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência



    O crescimento do setor foi puxado pelas duas marcas mais vendidas. A Honda sozinha anotou 304,6 mil unidades nestes cinco meses e cresceu 9,5% sobre igual período de 2017. Sua participação de mercado voltou a encostar nos 80%.

    Da Yamaha foram registrados 51,1 mil emplacamentos e alta de 9,6%. Entre as marcas com tradição em alta cilindrada, o melhor desempenho foi da Triumph, que teve 1,8 mil motos emplacadas no período e cresceu 16,4% sobre iguais meses do ano passado.

    E a BMW, que passou a atuar também no segmento de baixa cilindrada em 2017, começa a colher os resultados disso: com mais de 3 mil motos no acumulado do ano, cresceu 25,4% no período. Já os fabricantes com tradição em ciclomotores enfrentam uma situação bem difícil. A Shineray teve pouco mais de 4 mil unidades emplacadas durante o ano e registra queda de 42,5% ante igual período de 2017.

    A Traxx não chegou a 1,1 mil motos emplacadas e recuou 61,5%. Difícil também é o cenário para a brasileira Dafra, cujos emplacamentos no acumulado do ano (1,7 mil) estão 46,7% abaixo dos registrados na comparação interanual.

    A Suzuki recuou 36,2% no acumulado do ano ao vender 2,2 mil motos apenas. Mas sua rede de concessionárias passou a contar no primeiro semestre do ano passado com scooters Kymco e produtos de baixa cilindrada (motos, scooters e motonetas) da Haojue.

    Juntas, essas duas marcas já anotaram 4,4 mil unidades no acumulado de 2018, mais que o dobro dos modelos da própria Suzuki. A soma das três marcas (Haojue, Kymco e Suzuki) coloca a J.Toledo no terceiro lugar.