Honda suspende contratos de trabalho e ficará sem produzir carros por 3 meses

Linha de produção de automóveis da Honda em Itirapina: paralisação de três meses

Por REDAÇÃO AB
  • 22/04/2020 - 21:00
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    A Honda anunciou que irá estender até 25 de junho a paralisação da produção de automóveis no País, em decorrência do avanço do avanço da pandemia da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Com a decisão, as fábricas de Sumaré e Itirapina, ambas no interior de São Paulo, vão ficar paradas por três meses. As duas operações já estavam suspensas desde 25 de março, quando foram concedidas férias coletivas aos funcionários envolvidos no processo produtivo até o próximo 27 de abril. Mas na terça-feira, 21, os empregados aprovaram a suspensão dos contratos por 60 dias.



    Em comunicado divulgado na quarta-feira, 22, a Honda informa que “a medida visa assegurar a saúde e segurança dos colaboradores, bem como adequar a produção à demanda atual do mercado de automóveis”. O acordo para suspensão dos contratos de trabalho com reduções salariais foi negociada com os Sindicatos dos Metalúrgicos de Campinas e Limeira e aprovada pelos empregados em assembleia virtual, realizada em 21 de abril.

    A suspensão foi feita nos termos da Medida Provisória 936/2020, editada pelo governo no início de abril para flexibilizar relações contratuais trabalhistas com reduções de jornada e salários, diante da crise provocada pela pandemia de coronavírus, que paralisou todas as fábricas de veículos no País.

    O desconto salarial negociado varia de 0% a 25% e será escalonado conforme faixas salarias, sendo maior para aqueles que ganham mais, o que segundo a Honda vai além da exigência legal. No período de inatividade os funcionários vão receber parte dos salários cobertos pelo seguro-desemprego, conforme previsto na MP 936.

    A Honda informa que continuará revisando a cada dia as contramedidas em resposta aos desafios impostos pelo avanço da Covid-19, com objetivo de conter a escalada da pandemia e manter a sustentabilidade dos negócios.