Continental pesquisa a extração de borracha de dente-de-leão

Para empresa, planta pode ser alternativa à seringueira como fonte de matéria-prima.

Por Automotive Business
  • 11/07/2011 - 16:00
  • | Atualizado há 2 months
  • 2 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Redação AB

    A Continental integra o consórcio de indústrias e institutos de pesquisas que estuda a possibilidade de extrair látex do dente-de-leão para produzir borracha. Segundo a companhia, o material produzido pela planta tem a mesma qualidade do extraído da seringueira. A descoberta foi feita por cientistas da universidade de Müster, na Alemanha.

    A fabricante de pneus aposta no dente-de-leão como uma boa alternativa à seiva da seringueira, que tem procura maior do que a oferta, o que reflete nos custos de produção. A descoberta também é uma opção mais interessante do que produzir borracha sintética, feita a partir de uma fonte não-renovável, como o petróleo.

    Os pesquisadores da universidade alemã estimam que o dente-de-leão tem potencial para suprir 10% da demanda do país europeu por borracha. Entre as características positivas da planta está o ciclo de crescimento de apenas um ano contra cinco a sete para o cultivo da borracha tradicional. Outro atrativo é a fácil extração, já que os cientistas descobriram a enzima responsável pela rápida coagulação do látex e, inibindo sua ação, foram capazes de fazer com que a seiva escorra livremente da planta.