Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 07/04/2011 | 16h15

Restrição do crédito reduz ritmo de vendas

Emplacamentos avançaram 4,7% no primeiro trimestre.

Giovanna Riato, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

A restrição do crédito determinada pelo Banco Central em dezembro foi contabilizada nas vendas de veículos neste início de ano. A Anfavea, associação que reúne os fabricantes de veículos, divulgou nesta quinta-feira, 7, um crescimento em ritmo mais modesto no primeiro trimestre, com avanço de 4,7% sobre o ano anterior para 825.161 unidades.

Com as novas condições, as compras a prazo caíram de 65,5% do total para 62% entre janeiro e março. “As restrições fizeram com que o ritmo da expansão fosse reduzido”, explica Cledorvino Belini, presidente da Anfavea, associação dos fabricantes de veículos. Para o dirigente a mudança não é negativa, apenas uma condição passageira necessária para ajustar a economia. “É cedo para revisar as projeções de crescimento para este ano, precisamos de mais alguns meses”, aponta.

Em março foram emplacados 306.135 veículos, volume 11,7% maior do que o de fevereiro e 13,5% menor do que o anotado no mesmo mês de 2010. Cledorvino Belini, presidente da entidade, aponta que o número negativo é consequência da perspectiva de retirada da redução do IPI, que estimulou as compras de veículos em março do ano passado.

Nos próximos meses, além de contornar o aumento das exigências para a aprovação de financiamentos, o setor automotivo terá uma outra dificuldade. “Estamos disputando crédito com o setor imobiliário. Apesar do Índice de Confiança do Consumidor estar alto, isso pode não se converter em vendas de veículos”, explica o presidente da Anfavea.

Balança comercial

O equilíbrio entre importações e exportações, que tem sido um dos principais focos de atenção da Anfavea, teve mais um desajuste nos três primeiros meses do ano. Enquanto o licenciamento de veículos nacionais caiu 0,5%, com 643 mil unidades, as vendas de importados cresceram 28,5% no período sobre os mesmos meses de 2010, para 182 mil unidades.

A participação dos modelos importados nos emplacamentos chegou a 22% no primeiro trimestre do ano. O indicador do aumento da presença estrangeira nas vendas nacionais cresce a cada ano. Passou de 15,6% no primeiro trimestre de 2009 para 18,8% em 2010 e chegou ao máximo este ano.

“Importar faz parte do jogo. O importante é ter competitividade para também exportar e isso nós não temos”, preocupa-se Belini. O executivo está conduzindo à frente da Anfavea um estudo sobre a competitividade da indústria automotiva nacional, que deve ser entregue ao governo ainda no primeiro semestre.



Tags: Anfavea, Cledorvino Belini, veículos, carros, vendas, competitividade.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência