Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mobilidade | 11/03/2011 | 09h08

Poli avalia segurança de aéreos não tripulados

Objetivo é dar fundamentos para regulamentação.

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Veículos aéreos não tripulados (VANTs), cujo uso está se expandindo em todo o mundo, só podem voar em áreas restritas e desabitadas -- falta regulamentação para que possam dividir o espaço aéreo com a aviação civil. Antes, eles devem passar por um processo de certificação. É a isso que se dedica o Grupo de Análise de Segurança (GAS) do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais, da Escola Politécnica da USP (Poli-USP).

Os VANTs são aviões de tamanhos variados, entre pequenos e médios, que vão desde aeromodelos até quase ao tamanho de um caça. Alguns são controlados a partir do solo. Outros, mais sofisticados, podem ser programados para operar praticamente sozinhos em aplicações civis ou militares, entre as quais vigilância aérea de fronteiras e áreas conturbadas, levantamento de dados e imagens de plantações, criação de gado e ambientais, por exemplo, além de poderem ser usados como espiões durante as guerras.

Coordenada pelo professor João Batista Camargo Jr., a equipe da Poli vem se dedicando a fazer avaliações de segurança em VANTs. “Por meio de modelos matemáticos e simulações em computadores, procuramos estabelecer quais requisitos de segurança e confiabilidade um avião não tripulado precisa preencher”, explica Camargo Jr. “O objetivo do trabalho é dar fundamentos técnicos e de segurança para uma futura regulamentação, para que os VANTs possam voar no espaço aéreo controlado.”

O especialista explica que o veículo aéreo não tripulado deve ser encarado como um avião comum, com piloto. Ele precisa ter os mesmos níveis de segurança e confiabilidade e de riscos que uma aeronave tripulada. “Analisamos os softwares, hardwares e sistemas embarcados dos VANTs, que devem estar preparados para lidar com falhas e situações de emergência, para poder voar no mesmo espaço que os aviões tripulados.”

De acordo com o pesquisador da Poli, a regulamentação final deverá ser feita pela Agência Nacional de Aviação Civil, mas o trabalho do GAS poderá servir como subsídio.



Tags: Escola Politécnica da USP, engenharia, VANTs, aeromodelos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência