Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 02/03/2011 | 15h04

Mistérios da fusão Porsche-VW

Direto de Genebra, o jornalista Fernando Calmon conta como andam as negociações.

Fernando Calmon, especial para AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Fernando Calmon, especial para AB
De Genebra


Aparentemente tudo se encaminha para que a Volkswagen inclua a Porsche como décima marca do amplo portfolio do maior grupo automobilístico europeu, hoje terceiro do mundo (atrás de Toyota e GM) e com ambições oficiais de se tornar a número um até 2018.

Na véspera de abertura à imprensa do Salão de Genebra, na segunda-feira, 28, à noite, a Volkswagen promoveu um show reservado, este ano chamado de O Espírito das Marcas, como faz em outros salões internacionais realizados na Europa. Não passou despercebido a colocação do emblema Porsche no grande quadro de marcas do Grupo Volkswagen, em background, e em posição absolutamente secundária. Isso ainda não havia ocorrido, até Genebra.

Soou meio estranho porque a holding controladora do Grupo Volkswagen ainda é a Porsche SE. A versão oficial é de que tudo está acertado para incorporação total da Porsche. Aconteceria "no máximo até 2012", depois de uma tentativa frustrada pela crise financeira de 2008, quando o fabricante de Stuttgart chegou a adquirir 75% das ações da empresa de Wolfsburg em bolsa de valores. Hoje ainda possui 51%.

Estranho nessa história é uma notícia publicada na edição europeia do Wall Street Journal (WSJ), na sexta-feira, 25. Segundo o jornal, fontes não identificadas da Porsche teriam declarado que "os sucessivos e substanciais atrasos nos planos de fusão, poderiam resultar em abandono dessa operação entre Volkswagen e Porsche SE, atual holding controladora das duas marcas".

A realidade é que a fusão ocorreu na prática e está indo muito bem – pelos movimentos já anunciados. Porém, se a empresa se chamará VW-Porsche, Porsche-VW ou somente Grupo VW é o capítulo final de uma novela que se arrasta por mais de dois anos com implicações fiscais e até mesmo jurídicas. Na semana passada, os promotores de Stuttgart anunciaram que desistiram de uma das duas acusações contra dois ex-executivos da Porsche, Wiedeking e Haerter, mas que "as investigações continuam".

Wideking declarou ao WSJ que "estava muito feliz que a primeira acusação foi descartada e que aguardava com paciência que o mesmo ocorresse com a segunda acusação".



Tags: Porsche, VW, Volks, fusão, acordo, compra, Genebra.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência