Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Motociclos | 28/02/2011 | 18h09

Motos na tomada

Participação de modelos elétricos e flex deve crescer.

Giovanna Riato, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

Enquanto os fabricantes de motos recuperam-se da rasteira que a crise financeira deu no setor, a Kasinski prepara o terreno para crescer em vendas com as motos elétricas. Há cerca de três meses, a montadora trouxe para o mercado uma scooter, com expectativa de vender 200 unidades por mês. Mesmo sem publicidade, a empresa manteve o ritmo de 300 motos mensais, limite da produção para o modelo em Manaus.

“Vamos fazer campanha e ampliar a divulgação quando a fábrica do Rio de Janeiro estiver pronta e pudermos atender a demanda. A intenção é comercializar 20 mil unidades por ano”, entrega Rogério Scialo, diretor comercial da marca. Uma das apostas do executivo é fechar contratos para frotas governamentais e aproveitar as motos em rondas motorizadas, entregas dos Correios e movimentação dos profissionais que medem consumo de energia e água. “Os modelos são ideias para isso”, promete.

A nova planta industrial da companhia deve ficar pronta em 2012. Enquanto isso a empresa negocia contratos para organizar uma rede de abastecimento e prepara o terreno para o restante da linha de motos elétricas, que deve totalizar seis modelos.

A Abraciclo, associação dos fabricantes de duas rodas, parece não estar tão convicta quanto à eletrificação. “Hoje a moto flex é a aposta”, conta Moacyr Alberto Paes, diretor executivo da entidade. Os modelos bicombustível ampliaram a participação nas vendas de 12% para 18,5% entre 2009 e 2010.

Scialo não parece abalado com a concorrência. “O cliente precisa de apenas R$ 1 para rodar 50 quilômetros com a scooter elétrica”, promete ele. O jeito é esperar para descobrir quais tecnologias devem abocanhar a maior fatia do bolo. Espaço há. O Brasil é o quarto maior mercado de motos do mundo e projeções da Abraciclo apontam para um avanço de 9,5% nas vendas sobre o ano passado, para 2 milhões de unidades. A expectativa para a produção é de aquecimento de 13,3%, com 2,06 milhões de veículos.



Tags: moto, elétrica, flex, eletrificação, mercado, Kasinski, venda, produção, Abraciclo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência