Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 04/02/2011 | 17h33

Evolução dos caminhões agita Automotiva Usiminas

Pintura, que quase fechou a empresa, ajuda a esquentar negócios.

Paulo Ricardo Braga, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paulo Ricardo Braga, AB

Linhas de pintura podem ser decisivas nos negócios de uma empresa, como demonstrou a Automotiva Usiminas. Quando Flávio Del Soldato assumiu o comando da operação a ordem da Usiminas, proprietária, era clara: recuperar e vender a empresa, que andava mal das pernas. O calcanhar de aquiles da unidade de Pouso Alegre, MG, adquirida da Brasinca, estava nas instalações de pintura. Construídas pelo antigo dono, com pesados investimentos, ficaram sem clientes e apressaram a transferência do controle da operação para a siderúrgica.

Agora uma nova instalação fabricada pela Durr com suporte da DuPont, para tratamento de chapas e pintura, está sendo inaugurada, dobrando a capacidade e dando fôlego renovado ao empreendimento. “Somos uma empresa de soluções automotivas integradas”, dispara o executivo para explicar que houve uma evolução profunda desde os tempos em que a empresa era, antes de tudo, uma fabricante de peças estampadas.

Era 1999, quando a indústria de caminhões produziu 55.277 unidades. A empresa faturava R$ 40 milhões por ano com as operações de estamparia em uma região de impressionante beleza -- mas distante dos polos automotivos e dos clientes do segmento de veículos comerciais. Ativo e inspirado, Del Soldato acabou contrariando as expectativas iniciais da Usiminas e o pessimismo sobre o futuro do negócio. Com alguns suspiros no mercado, as vendas de caminhões entraram em trajetória de alta, somando 107 mil unidades em 2004 e 167.330 unidades em 2008. No ano pós-tsunami (2009) foram comercializados 123.633 caminhões, mas a partir daí houve uma retomada vigorosa.

Você já sabe o capítulo atual dessa história. A Automotiva Usiminas continua orbitando o poderoso grupo siderúrgico. O faturamento, de R$ 276 milhões em 2009, saltou para 407 milhões em 2010 e este ano pode emplacar R$ 500 milhões. “Estamos a caminho de R$ 1 bilhão em 2015”, registra Del Soldato, animado com o frisson que tomou conta das linhas de estampagem, montagem e pintura em Pouso Alegre.

Agregar valor

A Automotiva Usiminas passou a consumir mais aço e – o que é melhor – a agregar valor à matéria-prima siderúrgica. Ponto positivo para a subsidiária diante da controladora. O trabalho na unidade de Pouso Alegre anda no compasso do segmento de caminhões. Dependendo do cliente, são dez a cem cabinas de caminhões por dia – volume modesto diante do segmento de veículos leves. Mas a encomenda soma valor, com corte e estampagem, montagem (armação), pintura e até acabamento completo. “É trabalho de sistemista”, afirma Del Soldato.

Atualmente há muitos clientes batendo à porta, de diversas partes do mundo. Com a área de veículos comerciais bombando, fabricantes estrangeiros querem parceiros locais capacitados a entregar sistemas completos, possivelmente com uma boa dose de engenharia. Em geral são operações com volume reduzido, de até 300 veículos/mês.

A International é um dos clientes mais antigos. Ao contrário do que se faz no mercado por aqui (de aço), a marca constrói cabinas de alumínio. O produto mineiro, estampado, rebitado, pintado e com acabamento, é levado até a fábrica da Agrale em Caxias do Sul, onde os pesados da série 9800 são montados.

A Ford também entregou à Automotiva Usiminas a produção das cabinas do Cargo, à razão de uma centena por dia desde 2000. A cabina chega pronta à planta da montadora. A Mitsubishi adquire todas as peças estampadas para o TR4 e a L200. A Volkswagen encomenda a estampagem da Kombi, a Iveco conjuntos (como as portas) para Ducato e Daily, a Mercedes-Benz e a Scania conjuntos estampados.

No segmento de leves Del Soldato atende serviços de estampagem para Astra, Vectra e EcoSport. A Mahindra, por meio da Bramont, compra a montagem completa das cabinas em regime SKD.

Foto: Flávio Del Soldato, diretor da Automotiva Usiminas, ao lado da cabina do Cargo, na linha de pintura.



Tags: Usiminas, Automotiva Usiminas, Brasinca, estamparia, pintura, caminhões.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV