Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 04/01/2011 | 12h59

Restrição ao crédito começa a ser sentida

Serasa aponta queda nas consultas para abertura de financiamentos.

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB

Começaram a fazer efeito as medidas adotadas pelo Banco Central para restringir os planos de financiamento de automóveis mais longos e sem entrada. No mesmo mês em que foi registrado o recorde histórico de emplacamentos de carros zero-quilômetro, em dezembro houve sensível retração das consultas para abertura de crédito ao banco de dados da Serasa Experian por parte do segmento de comércio dedicado à venda de veículos novos e usados.

Enquanto a média geral do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio cresceu 2,9% em dezembro na comparação com o novembro, as consultas do setor de peças, veículos e motos recuaram quase 1% no período, após meses de expansão contínua. Também houve queda, de 0,7%, em relação a dezembro de 2009 – foi o único recuo aferido neste comparativo entre os seis segmentos que fazem parte do índice, que na média avançou 12,8% sobre o mesmo mês do ano anterior.

A queda nas consultas do setor ficou bastante concentrada em dezembro e mostra uma freada brusca no mês, pois no acumulado de 2010, em comparação com 2009, houve crescimento de quase 11%, um pouco acima da média geral, de 10,3%, e o terceiro melhor desempenho entre os seis setores – só perdendo para material de construção (17%) e móveis, eletroeletrônicos e informática (14,9%).

O tombo nas consultas do comércio de veículos foi justamente no mês em que entraram em vigor as restrições baixadas pelo BC, que encareceram os financiamentos acima de 24 meses e sem entrada com a exigência de mais garantias e depósitos compulsórios maiores nesses casos por parte das instituições financeiras. O BC só manteve as condições anteriores para planos de 24 a 36 meses com entrada mínima de 20% do valor do veículo, de 30% para até 48 meses e de 40% para prazos superiores.

Desaceleração

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, a ampla oferta de crédito em condições favoráveis, o elevado grau de confiança dos consumidores e o mercado de trabalho em ascensão foram as principais causas que sustentaram o desempenho positivo da atividade varejista em 2010. Para 2011 as expectativas são de continuação do crescimento, porém a taxas mais moderadas, limitadas pelas medidas de aperto no crédito baixadas pelo BC – que afetam especialmente o setor de veículos –, os prognósticos de aumentos dos juros e as promessas do novo governo de adotar política fiscal mais austera, todos fatores que tendem a desacelerar o consumo neste ano.



Tags: consumo, crédito, restrição, veículo, carro, compra, Banco Central, Serasa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência