Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 16/12/2010 | 09h49

Redução de crédito pode preceder aumento da Selic

BC verifica a necessidade de aumentar a taxa de juros.

Kelly Oliveira, Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Kelly Oliveira, Agência Brasil

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) considera que, dependendo das circunstâncias, medidas macroprudenciais podem preceder ações convencionais de política monetária (alterações na taxa básica de juros, a Selic).

No último dia 3, o BC adotou medidas macroprudenciais ao aumentar as exigências para concessão de crédito ao consumidor, além de elevar os depósitos compulsórios, recursos que os bancos são obrigados a deixar depositados no Banco Central (BC). O aumento do depósito compulsório retira de circulação R$ 61 bilhões e, assim, os recursos que os bancos têm disponíveis para emprestar diminuem.

Na ata da sua última reunião, divulgada nesta quarta-feira, 15, o comitê explica por que decidiu manter a Selic em 10,75% ao ano. O BC usa a taxa como um instrumento de controle da demanda por bens e serviços, para assim conseguir alcançar a meta de inflação estabelecida pelo governo, que é de 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, em 2010 e no próximo ano.

Na avaliação do Copom, é preciso “tempo adicional para aferir melhor os efeitos dessas iniciativas [medidas adotadas] sobre as condições monetárias. O comitê entendeu não ser oportuno reavaliar a estratégia de política monetária nessa reunião e irá acompanhar atentamente a evolução do cenário macroeconômico até sua próxima reunião, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária”. A próxima reunião do comitê será realizada em janeiro de 2011.

Para o Copom, há “certa equivalência entre ações macroprudenciais e ações convencionais de política monetária” e “a importância desse vínculo tende a crescer com o aprofundamento do mercado de crédito, fenômeno observado no Brasil nos últimos anos”. Na avaliação do comitê, com o aumento das exigências na concessão de crédito e a redução dos recursos disponíveis para emprestar, há redução da demanda e, por consequência, efeitos na inflação.

Entretanto, na avaliação do comitê, as ações macroprudenciais “se inserem em um processo abrangente, que inclui, entre seus objetivos, a reversão de estímulos introduzidos para contrabalançar os efeitos sobre a economia brasileira da crise de 2008/2009”.

“Junto a outras, constituem sequência de iniciativas que visa a adequar as condições financeiras domésticas ao ambiente pós-crise, caracterizado por intenso contraste entre os cenários prospectivos para os principais blocos econômicos”, destaca a ata.



Tags: BC, Banco Central, crédito, taxa de juros, Selic, Copom.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência