Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 08/11/2010 | 18h55

Prejuízo da Chrysler cai 51,1% no trimestre

Lucro operacional foi de US$ 239 milhões.

Clarissa Mangueira, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


O Chrysler Group informou nesta segunda-feira, 8, que seu prejuízo líquido recuou 51,1% no terceiro trimestre, para US$ 84 milhões, ante prejuízo líquido de US$ 172 milhões no segundo trimestre. A montadora também elevou a perspectiva para seus resultados financeiros, dizendo que alcançará um lucro operacional e um fluxo de caixa livre positivo em 2010. Não há dados na comparação anual desde que a companhia foi reorganizada em um processo de concordata, no ano passado.

A Chrysler registrou lucro operacional de US$ 239 milhões no terceiro trimestre, enquanto sua receita totalizou US$ 11 bilhões. Embora a montadora ainda não tenha registrado lucro neste ano, enquanto as rivais Ford Motor e General Motors informaram resultados positivos, seu prejuízo no terceiro trimestre foi o menor desde que a companhia se recuperou da concordata, o que sugere que os esforços do executivo-chefe, Sergio Marchionne, para reavivar a empresa poderão surtir efeito.

Para 2010 a montadora prevê lucro operacional de US$ 700 milhões e um fluxo de caixa livre de US$ 500 milhões, acima da projeção de Marchionne, divulgada em novembro de 2009. Na época o executivo afirmou que a montadora atingiria o ponto de equilíbrio em bases operacionais ou reportaria um pequeno lucro de US$ 200 milhões até o fim de 2010. Marchionne também previu um prejuízo de US$ 1 bilhão no fluxo de caixa.



Tags: Chrysler, montadora, concordata, Ford, General Motors, Sergio Marchionne.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência