Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia e Engenharia | 29/10/2010 | 15h55

Avanço econômico impulsiona inovação tecnológica

IBGE aponta que os dois setores cresceram no Brasil.

Jacqueline Farid, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Jacqueline Farid, Agência Estado

A inovação tecnológica aumentou no Brasil nos últimos anos, inclusive na indústria. Pesquisa de Inovação Tecnológica (Pintec) relativa ao período 2006-2008 divulgada pelo IBGE mostra que a taxa de inovação - porcentual de empresas investigadas na pesquisa que são inovadoras em processos ou produtos - chegou a 38,6% em 2008, ante 34,4% na pesquisa anterior, relativa a 2005.

Na indústria, segundo a Pintec, houve um forte incremento da inovação tecnológica nesta década. Se em 2000 a taxa de inovação no setor era de 31,5%, em 2005 atingia 33,5% e em 2008, subiu para 38,1%. A gerente da pesquisa, Fernanda Vilhena, atribui o crescimento a "um momento econômico muito favorável".

Segundo ela, os indicadores macroeconômicos relativos a Produto Interno Bruto (PIB), investimentos, consumo das famílias, importações e exportações registraram bons resultados no período pesquisado, o que tem efeitos positivos sobre a inovação.

Fernanda explica que as inovações estão diretamente relacionadas ao desempenho da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF). "Hoje no Brasil permanece o padrão de fazer inovação modernizando o parque industrial, com compra de máquinas e equipamentos, ou lançamento de novos produtos que também dependem da compra de novas máquinas, daí a ligação estreita entre investimentos e inovação", disse ela.

Internet

A Pintec revelou que o uso da Internet como "fonte do processo inovativo" foi citado por 68,8% dos estabelecimentos no setor industrial entrevistados, "caracterizando-se como o principal instrumento de inovação". Nos serviços , o porcentual foi ainda maior, de 78,7%. Os técnicos da pesquisa destacam que a Internet não havia sido apontada como principal fonte de inovação em nenhuma das três edições anteriores da Pintec, ocupando no máximo a quinta posição em 2005.

A pesquisa mostrou também que crescimento do porcentual de empresas inovadoras que utilizaram pelo menos um instrumento de apoio governamental, passando de 18,8% em 2005 para 22,3% em 2008. Ainda segundo a Pintec, o crescimento da taxa de inovação não evitou que o número de empresas com dificuldades ou obstáculos tenha aumentado de 35,2% do total de empresas investigadas em 2005 para 49,8% em 2008. A falta de pessoal qualificado é apontada por 57,8% das empresas como um dos principais obstáculos à inovação.

De acordo com a Pintec, em 2008 as oito atividades que apresentaram maiores taxas de inovação foram automóveis, camionetas, utilitários, caminhões e ônibus (83,2%), produtos farmoquímicos e farmacêuticos (63,7%), outros produtos eletrônicos e ópticos (63,5%), produtos químicos (58,1%), equipamentos de comunicação (54,6%), equipamentos de informática e periféricos (53,8%), máquinas e equipamentos (51,0%) e componentes eletrônicos (49,0%).

Segundo a pesquisa, as taxas de inovação alcançadas pelos serviços entre 2006 e 2008 "estão entre as mais elevadas", incluindo desenvolvimento e licenciamento de programas de computador (58,2%), telecomunicações (46,6%), outros serviços de tecnologia da informação (46,1%), edição e gravação e edição de música (40,3%) e tratamento de dados, hospedagem na internet e outras atividades relacionadas (40,3%).

Destaques

A Pintec investigou 106 mil empresas e, dessas, 100 mil são empresas industriais. A pesquisa aborda empresas do setor industrial e de serviços (incluindo edição, telecomunicações, informática). Fernanda disse que os destaques de inovação nas indústrias em 2008 ficaram com o setor farmacêutico (por causa da fabricação de medicamentos genéricos), indústria química (com inovação de processos, inclusive em meio ambiente), além de produtos com "alto componente tecnológico) como TV Digital e produtos de informática, como notebooks.

Outro segmento industrial destacado por Fernanda é o de alimentos que, segundo ela, não tem alta intensidade tecnológica, mas inovou com a fabricação de produtos light e diet e também funcionais (iogurte com fibras, maionese sem colesterol). Ela citou ainda a indústria automobilística, tanto pelo desenvolvimento de novos modelos como peças e acessórios.

A Pintec também mostra os gastos com inovação, em relação ao faturamento das empresas, permaneceu estável em quatro anos, o que, segundo Fernanda, mostra que o patamar de despesas nessa área aumentou. Em 2005, as atividades inovadoras foram foco de gastos equivalentes a 2,8% % do faturamento das empresas. Em 2008, a fatia era praticamente similar, de 2,85%.

"Os dados apontam uma estabilidade, mas é importante ressaltar que, como esse foi um período de crescimento econômico e elevação do faturamento das empresas, o gasto inovativo cresceu no mesmo ritmo da expansão da receita, o que não é pouco", disse a gerente da pesquisa. O investimento total das empresas em atividades inovativas alcançou R$ 54,1 bilhões em 2008, R$ 12,8 bilhões a mais que em 2005.

Segundo o IBGE, a Pintec tem o objetivo de fornecer dados para a construção de indicadores das atividades de inovação tecnológica das empresas brasileiras nos setores industrial, de serviços selecionados (edição, telecomunicações e inofrmática) e de pesquisa e desenvolvimento. A série da pesquisa teve início no ano 2000 e o levantamento sempre aborda um período de três anos.



Tags: tecnologia, inovação, IBGE, economia, Pintec, internet.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

Automotive Business
Avenida Iraí, 393, CJ 53, Moema, São Paulo - SP - CEP 04082-001 | Tel.: (11) 99996-1656