Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Segurança | 29/10/2010 | 13h18

Toyota é acusada de calar donos de carros com defeito

Proprietários afirmam ter assinado acordos de confidencialidade.

Clarissa Mangueira, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Clarissa Mangueira, Agência Estado

Os advogados de milhares de proprietários de automóveis da Toyota acusaram a montadora japonesa, num documento enviado à Justiça norte-americana, de tentar calar seus clientes sobre os problemas de aceleração involuntária apresentados pelos veículos, afirmou o jornal the Detroit Free Press.

De acordo com o documento, que faz parte de um processo contra a Toyota, os proprietários dos automóveis disseram que a montadora os obrigou a assinar acordos de confidencialidade e secretamente comprou de volta os veículos que aparentemente apresentavam problemas.

Os documentos também destacam que os engenheiros da Toyota conseguiram reproduzir os defeitos de aceleração involuntária, mas a companhia não reportou tais falhas à Administração Nacional de Segurança no Tráfego em Rodovias dos EUA (NHTSA, na sigla em inglês).

A Toyota disse, em comunicado, que recomprou dois veículos para análises de engenharia, mas que seus engenheiros não conseguiram reproduzir o problema de aceleração.

A NHTSA multou a Toyota em US$ 16,4 milhões no começo deste ano por conta da empresa não ter notificado a agência no prazo apropriado sobre o problema com o acelerador. A Toyota já realizou o recall de mais de 8 milhões de carros em todo o mundo para consertar defeitos com tapetes e pedais de aceleração.

As informações são da Dow Jones.



Tags: Toyota, recall, segurança, NHTSA, aceleração, defeito, multa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência