Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 30/09/2010 | 13h10

Inadimplência das empresas tem a maior queda desde 2004

Redução foi de 4,2% em agosto na comparação com julho.

Marli Moreira, Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Marli Moreira, Agência Brasil

A inadimplência das empresas diminuiu 4,2% em agosto, na comparação com julho, segundo levantamento da empresa de consultoria Serasa Experian. Apesar de um aumento de 3,8% em relação a agosto de 2009, no acumulado do ano, a inadimplência do setor é a menor dos últimos seis anos, com queda de 7,2%. De acordo com série histórica da Serasa, desde 2004 não era registrado um índice tão baixo de empresas inadimplentes.

De acordo com a nota técnica da Serasa, com “o fim do ciclo de elevação da taxa básica de juros, a Selic, com juros mais estáveis, as empresas passaram a contar com maior previsibilidade em relação aos seus custos de capital”.

Na variação mensal, as grandes empresas apresentaram uma situação de solvência melhor, com queda de 11,7% da inadimplência. Entre as empresas de médio porte houve redução de 6,1% e nas micros e pequenas, de 3,9%.

O número de títulos protestados caiu 8,1% e o de cheques devolvidos por falta de fundos, 4,4%. A única elevação foi no caso de dívidas com os bancos (2,8%), que apresentou valor médio de R$ 4.733,64 no acumulado de janeiro a agosto, o que representa alta de 3,6% sobre igual período de 2009.

Nessa mesma base de comparação, o valor médio dos títulos em protesto atingiu R$ 1.635,58 com redução de 8,9%. No caso dos cheques sem fundo, o valor médio subiu 33,1%, alcançando R$ 2.034,28.



Tags: inadimplência, empresa, Serasa, Selic.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência