Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Segurança | 29/09/2010 | 17h24

Marcio Fontes critica a falta do uso de cadeirinhas

Ministro diz que só houve procura quando 'doeu no bolso'.

Paula Laboissière, Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paula Laboissière, Agência Brasil

O ministro das Cidades, Marcio Fortes, criticou hoje (29) a suspensão de multas para o transporte de crianças em carros sem dispositivos de segurança (bebê-conforto, cadeirinhas e assentos de elevação) em Salvador. Ele lembrou que houve um período de dois anos para adaptação à lei, mas que a preocupação com o dispositivo só surgiu agora, quando a fiscalização começou a valer.

“Enquanto não doeu no bolso, as pessoas não compraram. A partir do momento em que surgiu a fiscalização, todos começaram a comprar”, disse, ao participar de entrevista a emissoras de rádio no programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC Serviços.

A Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) suspendeu a multa para motoristas que transportarem crianças sem o dispositivo de segurança alegando que o produto está em falta nas lojas.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) definiu que crianças menores de 10 anos devem ser transportadas apenas utilizando os dispositivos de segurança adequados – o bebê-conforto para crianças até 1 ano, a cadeirinha para crianças entre 1 e 4 anos ou o assento de elevação para crianças entre 4 e 7 anos.



Tags: ministro das Cidades, Marcio Fontes, cadeirinha, transporte de criança, equipamento de segurança, bebê-conforto, assento de elevação, Transalvador, Contran.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência