Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Powertrain | 20/09/2010 | 10h18

FPT prepara exportação do E.torQ

Companhia pretende vender 40% da produção para outros países.

Giovanna Riato, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

A FPT – Fiat Powertrain Technologies prepara-se para avançar nas exportações da família de motores E.torQ, que começou a ser produzida este ano na planta de Campo Largo, Paraná. Até 2014 a fabricante pretende cumprir a meta anunciada durante a apresentação do motor, em julho, de exportar 40% da produção.

A companhia afirma já estar em estágio avançado de negociação com empresas interessadas no propulsor. Há também a possibilidade do motor ser exportado para empresas do Grupo Fiat.

Alexandre Xavier, engenheiro responsável pelo projeto do E.torQ, avalia que a versatilidade é uma das principais vantagens para que a novidade avance no mercado. “Por ele ser compacto, é fácil adaptá-lo em diversos tipos de veículos”, afirma.

Enquanto a FPT não divulga novos contratos, a Fiat já aproveita o motor em cinco modelos da linha 2011: Punto, Doblò, Palio, Idea e Linea. Na sexta-feira, 17, a montadora promoveu o E.torQ Day, dia de testes com todos os carros equipados com o propulsor.

Testados pela reportagem, os modelos mostraram-se renovados com o motor. Os carros ganharam flexibilidade, com mais torque disponível e boa resposta às acelerações, e ficaram mais silenciosos e com menos vibração.


Modelos da linha 2011 da Fiat já estão equipados com motores E.torQ.



Tags: FPT, E.torQ, Alexandre Xavier, Punto, Doblò, Palio, Idea e Linea, E.torQ Day, Fiat.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV