Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Energia | 15/09/2010 | 07h42

Petrobras quer dobrar produção de petróleo

Objetivo pode ser alcançado em dez anos.

Alexandre Rodrigues, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, disse na terça-feira, 14, que a conclusão bem-sucedida da capitalização da Petrobras vai afastar as incertezas sobre a capacidade da estatal de sustentar o plano de investimentos de US$ 224 bilhões até 2014. Segundo ele, com as novas estimativas de poços em análise, a conclusão da transferência dos barris previstos na cessão onerosa da capitalização e a declaração de comercialidade de campos como Tupi até o fim do ano, a Petrobras dobrará as suas reservas de petróleo, atualmente estimadas em 14 bilhões de barris. "Em dez anos, vamos dobrar a produção de óleo e gás e, com isso, dobrar nosso valor de mercado", afirmou.

O executivo fez palestra na Rio Oil & Gas hoje à tarde, num painel sobre a relação entre crescimento econômico e o aumento da demanda por combustíveis. Costa afirmou que a estatal está muito empenhada na produção de biocombustíveis para fazer frente a desafios, como a tendência de mudanças na matriz energética automotiva. Para ele, o crescimento do mercado de carros flex é um desafio para a companhia. Por isso, disse, a Petrobras "está trabalhando com muita garra e força na área do etanol, do biocombustível e de outras tecnologias".

Segundo Costa, os investimentos da Petrobras em refinarias, como a Abreu e Lima, em Pernambuco, e o complexo petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), tem como objetivo corrigir o descolamento entre o aumento da capacidade de produção e a de refino, acentuado pelas recentes descobertas do pré-sal.

Para Costa, esse descompasso expõe o País ao risco de não conseguir suprir o aumento de demanda por combustível, apesar da autossuficiência de produção, e citou especificamente o caso do óleo diesel.

"Precisamos aumentar nossa capacidade de refino e exportar produtos de maior valor agregado, gerando mais empregos", afirmou Costa. Ele disse que, além da expansão da capacidade de refino, está entre os desafios da companhia aumentar a margem de comercialização, incentivar novos produtos na petroquímica e intensificar os ganhos com sinergias em áreas como logística, aproveitando melhor a estrutura de empresa integrada.

Fonte: Alexandre Rodrigues, Agência Estado.



Tags: Petrobras, pré-sal, Tupi, Rio Oil & Gas, matriz energética.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência