Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 12/08/2010 | 00h00

Carro zero está 0,68% mais barato

Preço caiu pela primeira vez no ano.

Automotive Business

Com o fim do IPI reduzido para carros de 1001cc a 2000cc e da alíquota zero para carros até 1000cc, os preços entraram em trajetória de elevação. A tendência era concluir uma alta de 5%, índice calculado para “repor” o imposto (que voltou a incidir a partir de 1º de abril) no preço do carro.

A forte concorrência não permitiu que o repasse do IPI ao preço final do carro zero fosse complementado. Depois de três meses de alta, os preços do carro zero subiram em julho, interrompendo o processo de reposição do imposto. De abril a julho o carro subiu menos da metade dos 5% previstos: foram 2,07% de aumento, conforme estudo AutoInforme/Molicar. No mês passado a tendência se inverteu, com os preços caindo 0,68%.

Joel Leite, diretor da AutoInforme, afirma que não dá pra prever se há uma estagnação ou se a queda em julho é pontual – só o resultado de agosto trará uma indicação mais seguro sobre o comportamento do preço praticado do carro zero.
De janeiro a julho, o Preço de Verdade acumulou alta de 2,68%. O último registro de queda de preço ocorreu em outubro do ano passado, com – 0,01%. No mês anterior, agosto, os preços caíram 0,26%.

Os carros da Volks e da Ford tiveram queda de preço acima da média em julho. A Volks caiu 1,49% e a Ford 1,24%. A Fiat teve uma pequena queda (- 0,08%), acima da média. No caso da GM os preços subiram: os carros da marca ficaram 0,15% mais caros em julho.

A marca que mais aumentou os preços foi a Agrale (2,69%); na outra ponta, os que mais caíram foram os da Lexus: - 4,79%.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência