Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 11/08/2010 | 00h00

Presidente da Gol não vê risco de greve

Ele descarta que atrasos e cancelamentos afetem resultados.

Michelly Teixeira, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


O presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Junior, descartou que os atrasos e cancelamentos nos voos da companhia nos últimos dias tragam impacto à demonstração financeira deste trimestre. "Esta foi uma situação pontual, provocada pela implementação de um novo sistema para escala dos tripulantes. Não vai ser repetida no futuro e não é relevante para mudar as projeções em termos de custos e de receita", afirmou hoje, durante teleconferência voltada a analistas estrangeiros.

Sobre as notícias de que os funcionários da Gol planejam uma paralisação na próxima sexta-feira, Constantino diz não ver risco potencial de greve. Ele comentou que ontem o Ministério Público intermediou conversas entre a companhia e o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA). Mas o executivo se queixou que os sindicalistas não têm uma clara proposta para apresentar. "Estamos abertos ao diálogo, mas não podemos ter uma conversa sem uma proposição sobre a mesa."

Em nota divulgada na semana passada, os funcionários da Gol sindicalizados ao SNA informaram que pedem melhores salários e planos de saúde, além do fim do excesso de jornada. Hoje, quando questionado sobre a carga de trabalhado de seus tripulantes, Constantino repetiu que a Gol respeita os limites definidos por lei e que os problemas ocorreram unicamente pela instalação do software que atualiza as escalas de trabalho.

Fonte: Michelly Teixeira, Agência Estado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência