Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 09/08/2010 | 00h00

Saiba quem levou os recursos do BNDES

12 empresas ficaram com 57% dos R$ 168 bi desde 2008.

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação, AB

Reportagem da Folha de S.Paulo assinada neste domingo, 8, pelo jornalista Ricardo Balthazar, mostra que Petrobras, Eletrobras e dez grupos privados ficaram com 57% dos R$ 168 bilhões destinados a transações contratadas de 2008 a junho deste ano.

A Petrobras leva R$ 29,13 bilhões dos recursos. A Mercedes-Benz R$ 1,16 bilhão, para expansão de sua operação em São Bernardo do Campo, SP. Na área de logística e concessão de rodovias, couberam R$ 1,22 bilhão à OHL, 334 milhões à CCR e R$ 3,92 bilhões à EBX. A Usiminas ficou com R$ 710 milhões, a Vale com R$ 7,71 bilhões, a Alcoa com R$ 2,81 bilhões, a Votorantin com R$ 5,27 bilhões, a Gerdau com R$ 1,05 bilhão, a Votorantin com R$ 5,27 bilhões, a Cosan R$ 1,15 bilhão.

O levantamento mostrou que além dos repasses que receberam diretamente do banco, alguns grupos foram beneficiados também como sócios de empreendimentos na área de infraestrutura e de companhias de outros grupos que conseguiram empréstimos da instituição. Segundo o jornalista, na avaliação do BNDES a elevada concentração de sua carteira reflete o que se vê fora do banco: a taxa de investimentos do país é relativamente baixa e grandes empresas como a Petrobras são responsáveis pelos principais projetos em andamento.

Balthazar registra, ainda, que os críticos incomodados com o favorecimento de grandes grupos acusam o BNDES de usar seu poderio para fortalecer empresas com amigos em Brasília em detrimento de concorrentes e dos consumidores.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência