Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 27/07/2010 | 00h00

Brasil puxa vendas da AGCO na região

Avanço da marca na América do Sul pode chegar a 25%.

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


A empresa AGCO, cujas marcas incluem Massey Ferguson, Valtra, Challenger e Fendt, afirmou nesta terça-feira, 27, esperar que as vendas de máquinas e equipamentos agrícolas de toda a indústria na América do Sul cresçam entre 20% e 25% neste ano em relação a 2009. Em abril, previa elevação de 10% a 15%.

Durante conferência de apresentação de resultados, o presidente e executivo-chefe da empresa, Martin Richenhagen, destacou o papel do Brasil nesse cenário de mercado aquecido. "A demanda no Brasil está atingindo níveis recorde", afirmou. "O governo brasileiro estendeu os programas de financiamento de equipamentos com juros baixos até o fim de 2010, o que, somado às fortes colheitas e à melhor renda rural, está sustentando as vendas da indústria", explicou o executivo.

As vendas da AGCO na América do Sul subiram 98% no segundo trimestre fiscal, para US$ 448 milhões, em relação ao ano anterior - ou 74,2% se não forem considerados os impactos cambiais. "Nossa forte posição na América do Sul está permitindo que aproveitemos as condições saudáveis do mercado", disse Richenhagen. "A América do Sul foi a chave de nossos resultados no segundo trimestre."

A AGCO informou que lucrou US$ 62,9 milhões no segundo trimestre, valor 9,6% superior ao registrado no mesmo período de 2009.

Fonte: Felipe Domingues, Agência Estado, com informações da Dow Jones.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência