Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 02/06/2010 | 00h00

Roubo de carga deu prejuízo de R$ 900 milhões em 2009

Levantamento foi feito pela NTC&Logística.

Automotive Business

Pesquisa realizada pela assessoria de segurança da NTC&Logística mostra que o Brasil registrou, em 2009, 13.500 ocorrências de roubo de cargas, totalizando um prejuízo de R$ 900 milhões. O número representa um aumento de cerca de 10% com relação ao ano anterior, que foi de 12.400 e R$ 805 milhões.

A pesquisa também apontou que 81,38% dos casos (10.987) foram registrados no sudeste do país, região com maior crescimento de ocorrências de um ano para o outro. As regiões que menos sofreram com o roubo de cargas foram a norte e a centro-oeste, com 211 e 272 ocorrências e prejuízo de R$ 24,1 e R$ 29,2 milhões, respectivamente.

De 2008 para 2009, apenas as regiões sul e sudeste tiveram aumento nas ocorrências, sendo que as demais registraram uma leve queda. Porém, nos valores subtraídos, apenas o nordeste teve redução, de R$ 91,7 para R$ 85,8 milhões, sendo que as demais regiões tiveram considerável alta.

Segundo o coronel Paulo de Souza, assessor de segurança da NTC&Logística, esse cenário é muito preocupante e requer atitudes imediatas por parte do Governo Federal. “O setor não pode mais arcar com a falta de segurança. É preciso uma mobilização para que a Lei Negromonte seja, de fato, regulamentada e colocada em prática”.

Os produtos mais visados pelos infratores foram: alimentícios, eletroeletrônicos, farmacêuticos, cigarros, metalúrgicos, químicos, têxteis e confecções, autopeças e combustíveis.

Fonte: NTC&Logística.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV