Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Volkswagen completa investimento na Argentina com nova área de pintura de US$ 200 milhões
Pablo Di Si, presidente da VW América Latina, recebe o presidente argentino Alberto Fernández na nova área de pintura da fábrica de Pacheco: investimento de US$ 200 milhões

Indústria | 04/12/2020 | 18h15

Volkswagen completa investimento na Argentina com nova área de pintura de US$ 200 milhões

Aporte faz parte do ciclo de US$ 650 milhões investidos para produção do SUV Taos na fábrica de Pacheco

PEDRO KUTNEY, AB

Com plateia repleta de autoridades governamentais da Argentina, incluindo o presidente da República, Alberto Fernández, a Volkswagen inaugurou na sexta-feira, 4, a nova cabine de pintura do Centro Industrial de General Pacheco, que recebeu US$ 200 milhões dos US$ 650 milhões aplicados na planta desde 2018. O atual ciclo de investimentos na operação se encerra este ano com a conclusão das modernizações na fábrica e o início da produção em série do Taos, primeiro SUV da marca fabricado no país, que deverá ter mais de 60% da produção exportada para diversos países sul-americanos, principalmente para o Brasil, onde o modelo chega no segundo trimestre de 2021.

Presente à inauguração, o argentino Pablo Di Si, presidente da Volkswagen América Latina, destacou que a empresa já investiu quase US$ 1 bilhão na Argentina nos últimos cinco anos – somando os aportes na planta de Pacheco e também US$ 150 milhões que foram aplicados recentemente na fábrica de transmissões de Córdoba. Segundo o executivo, o programa foi viabilizado após negociações com o sindicato e governo para recuperar a produtividade e competitividade da fábrica argentina.

“Há apenas seis anos éramos os últimos em indicadores de produtividade. Não foi fácil superar essa situação. O acordo com a participação dos trabalhadores foi fundamental para viabilizar os investimentos que fazemos para tornar esta fábrica uma das mais avançadas do grupo na América Latina, que em breve começará a exportar o Taos”, disse Pablo Di Si.



Representando o sindicato nacional dos trabalhadores da indústria de transporte automotor (SMATA), Mario Manrique, secretário-geral adjunto da entidade, confirmou a operação de resgate da planta de Pacheco: “Quando iniciamos as negociações esta fábrica estava quase fechada. Os trabalhadores entenderam que teriam de fazer sacrifícios para mudar isso, passaram por momentos difíceis, mas não baixaram os braços e conseguiram aumentar a produtividade. Prova disso é que vamos terminar 2020 com praticamente a mesma produção de 2019, mesmo com a pandemia”, contou. Além do Taos que começa a ser produzido em série agora, a Volkswagen também produz na Argentina, desde 2009, a picape Amarok.

FÁBRICA RENOVADA



Thomas Owsianski, presidente do Volkswagen Group Argentina, destacou que os investimentos trazem novo ânimo à fábrica. “O dia de hoje marca o antes e o depois dos 25 anos do nosso centro de produção de Pacheco. Trabalhamos intensamente na introdução da plataforma MQB, a mais moderna do grupo no mundo, que dá vida ao novo Taos e traz avanços importantes. Com essa tecnologia, poderemos ampliar o volume e conseguir maior flexibilidade para a produção de novos modelos. Com isso asseguramos nosso caminho rumo ao futuro”, disse o executivo.


Nova cabine de pintura da Volkswagen na Argentina: 68 robôs

O Centro Industrial Pacheco da Volkswagen – uma herança da finada sociedade com a Ford na Autolatina, encerrada em 1996 com um muro que separou a área em duas partes – foi praticamente reconstruído para produzir modelos sobre a plataforma global MQB do grupo.

A unidade de pintura inaugurada oficialmente na sexta-feira é completamente nova, foi construída do zero em área de 25 mil metros quadrados. As obras consumiram dois anos e meio de trabalho, com 600 operários, 71 fornecedores e 130 especialistas de dez países. Foram aplicadas 2,5 mil toneladas de aço na estrutura do novo prédio, que hoje abriga uma linha quase que 100% automatizada, com 2,5 mil metros de transportadores e 68 robôs que aplicam tinta sobre o exterior e interior das carrocerias.

Foram capacitados 250 trabalhadores para atuar na nova área de pintura de Pacheco, única na Argentina que opera com tintas à base de água primerless, que não requer aplicação de base e elimina uma das etapas do processo, com evidente ganho de produtividade. Segundo a Volkswagen, os novos equipamentos gastam 75% menos energia elétrica e consomem 85% menos água e ar do que os utilizados anteriormente na planta.



Tags: Volkswagen, Argentina, Pacheco, investimento, fábrica, pintura, cabine, Taos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência