Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Renault gera mais engajamento entre funcionários com a diversidade
Douglas Pereira, diretor de RH da Renault: ''A diversidade é um valor que promove a inclusão de diferentes perfis em nossas equipes''.

Carreira | 14/09/2020 | 14h48

Renault gera mais engajamento entre funcionários com a diversidade

O diretor de RH, Douglas Pereira, destaca as ações voltadas à inclusão em meio aos desafios impostos pela pandemia

SUELI REIS, AB

Que a pandemia trouxe inúmeros desafios em todos os aspectos humanos para todos é um fato. No entanto, contar com o engajamento das pessoas de forma intensa para enfrentar esse momento com o mínimo de impacto possível tem sido o grande destaque dentro da Renault, que apesar de todas as dificuldades, comemora o esforço dos funcionários em cada ação promovida pelo programa de diversidade.

O diretor de RH, Douglas Pereira, conta como a empresa tem contado com cada colaborador a fim de preservar não só a saúde de todos, mas também manter vivos os objetivos dos programas de inclusão que a companhia tem implementado ao longo dos últimos anos, uma vez que a diversidade ganhou nova dimensão a partir das novas realidades com a pandemia.

Mesmo em meio a tantos desafios, passando pela paralisação das fábricas de todo o complexo industrial até a negociação com o sindicato para a manutenção dos empregos, a Renault confirma seu compromisso com a iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade, o que inclui a diversidade e a inclusão de todas as pessoas.

O longo prazo perde a relevância em um contexto de emergência, como o atual. Levando isso em consideração, como a Renault tem trabalhado ações para promover a diversidade?


A diversidade é um valor para o Groupe Renault, que promove a inclusão entre diferentes perfis e personalidades em suas equipes. Recentemente, a Renault do Brasil participou da construção das Rotas Diversidade e Longevidade 2035, material elaborado pelo Centro de Inovação Sesi em Longevidade e Produtividade, composto por um livro e um roadmap que apresentam direcionamentos para construir ambientes corporativos mais igualitários e que ofereçam oportunidades para todos.

No mês de junho, quando se celebra o orgulho LGBTQIA+, promovemos um Renault Talks Live para os colaboradores com foco na diversidade e inclusão, buscando fomentar o debate acerca do tema. Além disso, ainda em junho estruturamos um grupo de afinidade para promover ações afirmativas e debates relacionados ao tema da diversidade e inclusão, visando um ambiente mais igualitário na organização.

O grupo Proud@Renault teve início após a realização de um “Café Virtual da Diversidade” com colaboradores de diferentes setores da companhia, do qual tive o prazer de conduzir.

Quando se trata de recursos humanos, quais são os maiores desafios que o atual momento da pandemia impõe?


Desde o início da Covid-19 no país, a nossa primeira preocupação foi com a saúde de todos os nossos colaboradores. Por isso, aplicamos uma série de medidas para a preservação da saúde. O protocolo de saúde e segurança da Renault do Brasil segue as premissas da organização mundial da saúde (OMS) e autoridades locais do país. Todas as medidas de prevenção estão sendo tomadas pela empresa, mas é importante destacar que as pessoas também devem cumprir as medidas fora da empresa para que haja a prevenção.

A produção das quatro fábricas dentro do Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR) foi suspensa de 23 de março até 4 de maio. Para a volta das atividades adotamos este rígido protocolo de segurança com diversas ações que abrangem desde a saída do colaborador de casa, passando pela adaptação dos postos de trabalho da produção, nos refeitórios etc. Desde o dia 18 de maio, foi adotada por 30 dias a MP 936, com redução de jornada que pode chegar a 70%, conforme a necessidade de cada fábrica e linha de produção. Em 17/06 a medida foi prorrogada por mais 30 dias. Naquele período, a Renault completou o valor pago pelo governo, garantindo 100% do salário líquido para todos os colaboradores.

Todas as pessoas da área administrativa estão desde o dia 13 de março em teletrabalho (home -office) por tempo indeterminado. Com isso, a Renault tem o objetivo de preservar a saúde e o bem-estar de todos os colaboradores.

Como fica o trabalho de fortalecimento cultural e engajamento das equipes quando grande parte dos colaboradores está em home office?


Mesmo à distância, estamos nos mantendo próximos e conectados do nosso time. Desde o fim de março, realizamos reuniões on-line com a participação do presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, e de todos os diretores e gerentes. A cada quinzena, realizamos esses encontros virtuais para manter todos atualizados sobre os principais acontecimentos.

Além disso, nossos canais digitais de comunicação interna têm um papel fundamental neste período. Nos últimos quatro meses, por exemplo, nosso aplicativo de comunicação, o app Sou Renault, já recebeu mais de 440 mil acessos. Além de consultar as informações, nosso time também pode interagir e publicar conteúdo em nossa rede social, o que nos aproxima ainda mais.

A participação de nossos colaboradores e colaboradoras em ações de voluntariado também tem sido um destaque. Lançamos internamente, por meio do Instituto Renault, a campanha Mobiliza Renault estimulando os colaboradores a realizarem ações voluntárias. Como resposta, mais de 40 toneladas de alimentos foram doadas, em ações organizadas pelos times de carroceria, montagem, estamparia, alliance production way (APW) e qualidade.

Foi preciso demitir? Como a empresa está adequando a força de trabalho à demanda mais baixa?


A Renault do Brasil informa que desde o início da pandemia, em março, aplicou soluções de flexibilidade como férias coletivas e a MP936 para o enfrentamento da crise da Covid-19. Com o agravamento da situação, queda das vendas e a falta de perspectiva de retomada do mercado, a Renault buscou negociações com o sindicato.

Observação: em 11 de agosto último, a Renault e o Sindicato entraram num acordo para revogar a demissão de 747 funcionários, além disso, a empresa ofereceu um Programa de Demissão Voluntária (PDV) que terminou no dia 20 do mesmo mês (leia aqui).

Como a companhia lida com as novas preocupações impostas pela pandemia, como o acolhimento às pessoas que são grupo de risco, o apoio a colaboradores que precisam utilizar transporte público etc.?


Os colaboradores que fazem parte do grupo de risco, de acordo com os parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), estão afastados de suas atividades, com o contrato suspenso seguindo os termos da MP 936.

Sobre o transporte fretado o nosso protocolo de saúde e segurança prevê uma série de medidas de prevenção, como: aferição de temperatura na entrada, higienização das mãos com álcool em gel, colocar a máscara antes de entrar no ônibus, manter a distância segura de um metro. Além disso, a lotação dos ônibus foi adaptada e os veículos são higienizados frequentemente. Em função da nova regra de ocupação, aumentamos provisoriamente a frota de ônibus em 50% e as janelas são mantidas abertas durantes o trajeto, sempre que possível.

Quando falamos de pessoas, quais novas necessidades surgiram com a pandemia (ex: acolhimento para violência doméstica, apoio a quem mora com grupos de risco da Covid-19 etc.)?


Nossa equipe de saúde está realizando o acompanhamento desde o início da crise no Brasil e ampliamos nossos canais de atendimento. Além de poder falar diretamente com os profissionais do nosso centro médico, junto à operadora do plano de saúde, disponibilizamos um canal específico para dúvidas sobre o coronavírus, que funciona 24 horas por dia e todos os dias da semana. Também implementamos a telemedicina (incluindo especialistas) e a telepsicologia. Os casos mais sensíveis são acompanhados também pela nossa assistente social, serviço que também foi ampliado neste período.

Qual será o legado desta pandemia do ponto de vista da diversidade e da gestão de pessoas na Renault?


Desde 2001, a Renault está comprometida com a iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade, além de seus princípios nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e luta contra a corrupção. Reafirmamos nosso compromisso de seguir e promover os valores universais do Pacto Global, lutando contra a corrupção e promovendo evolução em responsabilidade ambiental e social, melhorando de forma contínua.

O Instituto Renault, responsável pelas ações socioambientais, também é responsável por práticas que refletem a política inclusiva da empresa. Um exemplo é o apoio ao projeto Associação Borda Viva, que tem como um dos seus pilares a geração de renda e o estímulo ao empreendedorismo social das mulheres na comunidade de Borda do Campo, região de baixa renda de São José dos Pinhais (PR), onde fica a fábrica da Renault.

Vamos fortalecer ainda mais nossas ações em prol da diversidade e inclusão, pois acreditamos que a diversidade é um valor para o Grupo Renault e um fator crucial para nosso futuro.



Tags: Renault, diversidade, inclusão, engajamento, Douglas Pereira, RH, recursos humanos, pandemia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência