Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Peugeot fará estreia elétrica no Brasil com o 208 e-GT
Versão elétrica e-GT do novo Peugeot 208 chegará importada da França a partir de janeiro

Elétricos | 08/09/2020 | 19h00

Peugeot fará estreia elétrica no Brasil com o 208 e-GT

Marca tenta suprir ausência de opção turbo com oferta de propulsão elétrica em plataforma multienergia

PEDRO KUTNEY, AB

O lançamento do novo Peugeot 208 também marcará a estreia da estratégia de eletrificação da marca no Brasil. Com a plataforma multienergética CMP (de common modular platform) sobre a qual é construído o novo compacto, o Grupo PSA iniciou no ano passado o lançamento de carros com uma mesma carroceria e múltiplas escolhas de propulsão, a combustão, 100% elétrica ou híbrida plug-in recarregável na tomada. No mercado brasileiro, a Peugeot aproveitou a isenção de imposto de importação para modelos a bateria para lançar a versão elétrica do 208 aqui batizada de e-GT, que vai representar a opção esportiva do hatch com 136 cavalos, torque máximo de 26,5 kgfm e aceleração de 0 a 100 km/h em 8 segundos, segundo medições do fabricante.

A versão e-GT será importada da França – com pré-reserva aberta este mês mas ainda sem preço definido porque as entregas só começam a partir de janeiro. Ana Theresa Borsari, diretora geral da Peugeot no Brasil, reconhece que o 208 elétrico terá participação mínima nas vendas, mas ela destaca que a demanda se mostra acima das expectativas.

“O 208 elétrico já tem lista de espera de cinco meses na Europa e aqui, mesmo sem saber o preço, já temos 2,5 mil pessoas interessadas em fazer a reserva, sendo que 250 afirmam que querem por qualquer preço. Eu não esperava tudo isso”, afirma Ana Theresa Borsari.



A executiva avalia que mesmo sem tantos incentivos como na Europa para venda de elétricos no Brasil, a isenção do imposto de importação para modelos a bateria já é um bom começo. Ela aponta que existe no mercado brasileiro a demanda de público formado especialmente por “artistas e famosos interessados em expressar sua personalidade com o comportamento de consumo diferente”. Para Ana Theresa, o 208 e-GT vai aproveitar esse interesse crescente oferecendo o mesmo design do carro a combustão.

A diretora da Peugeot garante que a opção por trazer o elétrico não foi para suprir a ausência de motorização turbinada no novo 208 no Brasil, onde a única opção a combustão é o velho 1.6 flex aspirado de 118 cv com etanol, disponível nas concessionárias a partir deste mês. “Escolhemos para ser a versão esportiva do 208 a tecnologia mais moderna do grupo, para de fato representar um novo ciclo da marca no País, o futuro, que é a plataforma multienergia”, justifica Ana Theresa.




Oswaldo Ramos, diretor comercial da Peugeot, complementa: “Na Europa o 208 elétrico é topo de linha, diferente da estratégia da Renault ou Nissan e mais próxima do que faz a BMW. Queremos o mesmo no Brasil, que o cliente compre o carro não porque é elétrico, mas porque é esportivo”.

Ana Theresa ainda não confirma quando nem qual modelo, mas admite que faz parte dos planos oferecer também no Brasil todas as opções da estratégia multienergética do grupo, o que também inclui os híbridos plug-in, não disponível no caso do 208, mas oferecida em SUVs como o 3008 e 5008.



Tags: Peugeot, 208, e-GT, elétrico, lançamento, PSA, mercado.

Comentários

  • Denis

    Veremoso preço do elétrico..."...já temos 2,5 mil pessoas interessadas em fazer a reserva, sendo que 250 afirmam que querem por qualquer preço...". São 2.500 pessoas curiosas que provavelmente se assustarão com o preço. Os 250 que querem por qualquer preço são abastados consumidores que já devem ter carrões movidos à gasolina.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência