Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Metalúrgicos da Renault aprovam acordo e encerram greve no Paraná

Trabalho | 11/08/2020 | 18h30

Metalúrgicos da Renault aprovam acordo e encerram greve no Paraná

Proposta prevê manutenção dos empregos e retorno ao trabalho na quarta-feira, 12

REDAÇÃO AB

Após 21 dias, termina a greve dos funcionários do complexo industrial da Renault em São José dos Pinhais (PR) iniciada em protesto contra a demissão de 747 trabalhadores. O acordo que entrou em votação online na segunda-feira, 10 (leia aqui), e elaborado pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) em conjunto com a montadora foi aprovado pela maioria absoluta dos empregados (95% ou 5.119 votos), enquanto 164 pessoas foram contrárias ao acordo.

Assim, os 747 funcionários serão readmitidos, mas ficarão em casa até o dia 20 de agosto, quando termina o PDV (plano de demissão voluntária) organizado pela Renault. Os demais retornam ao trabalho já na quarta-feira, 12. Também foram aprovados um pacote salarial que contempla a data-base da categoria e um programa de participação nos lucros e resultados (PLR).

De acordo com o sindicato, a Renault também se comprometeu em tentar adiantar a vinda de um novo produto para a fábrica paranaense, o que pode influenciar na lucratividade da empresa. Contudo, não há garantia de que essa tentativa vá se concretizar.

“A reintegração e o fechamento de um acordo que mantém os empregos é uma vitória dos trabalhadores que mostraram união e mobilização num momento difícil como esse. Como ficou claro, existem ferramentas que podem ajudar nesse sentido, basta ter boa vontade para sentar e negociar”, afirmou o presidente do SMC, Sérgio Butka.

RENAULT SE MANIFESTA



“Sempre estivemos abertos ao diálogo. As bases do acordo coletivo aprovado respondem aos desafios de adequação de estrutura e de competitividade que a empresa já vinha buscando, com soluções como o PDV, flexibilidades, além de todos os aspectos de competitividade definidos até agosto de 2024”, declarou em nota Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil.

Como a Justiça do Trabalho já havia deliberado em favor da anulação das demissões, com o argumento de que a montadora havia descumprido um termo de compromisso com o Ministério Público do Trabalho, em que se comprometia a negociar com o sindicato da categoria qualquer programa de dispensa, o acordo firmado ficou de bom tamanho. Agora, SMC e Renault devem retirar os processos judiciais que moviam um contra o outro.



Tags: Renault, greve, fábrica, complexo industrial, trabalho, demissões, PDV, acordo coletivo, Paraná, São José dos Pinhais, Sindicato dos Metalúrgicos, Curitiba.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência