Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Fábricas de motos se dividem em volta ao trabalho e redução salarial
Linha de produção da Yamaha em Manaus: volta ao trabalho sem definição sobre redução de jornada e salários

COVID-19 | 30/04/2020 | 19h02

Fábricas de motos se dividem em volta ao trabalho e redução salarial

Yamaha retoma produção em Manaus e estuda redução de jornada; Harley-Davidson volta a produzir; Honda e BMW só voltam em 18 de maio

MÁRIO CURCIO, AB



A Yamaha também estuda aderir à Medida Provisória 936, que prevê a suspensão de contratos de trabalho, redução de jornada e salários como forma de enfrentar a pandemia de Covid-19. A empresa produz motos em Manaus, onde emprega 1,7 mil trabalhadores. Sua produção foi retomada na quinta-feira, 30.

Em Guarulhos, onde ficam escritórios, centro de peças e outros departamentos da Yamaha, há funcionários atuando em home office ou em férias coletivas, ainda sem retorno definido. São 700 trabalhadores. A Yamaha é a segunda maior fabricante de motos do País, com fatia próxima a 14%.

Na terça-feira, 28, a Moto Honda da Amazônia, líder de mercado, comunicou sua adesão à MP 936 ao mesmo tempo em que prorrogou o retorno para 18 de maio. A data também foi escolhida pela BMW. No entanto, a montadora de origem alemã informa que ainda não há medidas em negociação para a fábrica de motocicletas, só a de carros.

A Harley-Davidson também informa que não utilizou até o momento nenhum recurso da MP 936 como suspensão de contratos ou redução de jornadas e salários. A empresa havia paralisado a fábrica em 30 de março e retomou a produção na terça-feira.



Tags: Yamaha, motos, MP 936, pandemia, Covid-19, redução de jornada e salários, Honda, BMW, Harley-Davidson.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência