Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas de ônibus podem cair 35% em 2020, aponta Mercedes-Benz
Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da M-B, analisa o mercado de ônibus diante da crise do coronavírus

COVID-19 | 30/04/2020 | 18h38

Vendas de ônibus podem cair 35% em 2020, aponta Mercedes-Benz

Montadora indica que não há previsão de compras no 2º trimestre tanto para o segmento urbano quanto rodoviário

SUELI REIS, AB

A Mercedes-Benz estima que as vendas de ônibus podem ter queda de 35% em 2020 ao compará-las com sua projeção feita no início do ano e quando previa algo em torno de 20 mil a 21 mil unidades. Este volume era semelhante ao de 2019, quando o mercado brasileiro emplacou pouco mais de 20,7 mil ônibus, o que representou um crescimento de 12% sobre o ano anterior. O segmento de transporte de passageiros é um dos mais impactados com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.


Segundo o diretor de vendas e marketing de ônibus, Walter Barbosa, com o cenário atual, é difícil prever o que vai acontecer com o mercado e a expectativa de que as vendas recuem 35% neste ano considera uma retomada dos negócios a partir do início do terceiro trimestre.

“É difícil precisar qualquer projeção neste momento, porque precisa antes enxergar o fim da pandemia. Esse índice [-35%] seria algo mais factível este ano, infelizmente, com volume entre 13 mil e 14 mil ônibus, mas isso se o mercado retomar entre o fim de julho e início de agosto, se não acontecer [essa retomada], não vamos alcançar esse número”, afirma Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus.



Os resultados do desempenho do setor no primeiro trimestre dão o tom do cenário: as vendas totais de ônibus no Brasil recuaram 21% na comparação com igual período do ano passado, passando de 4,6 mil para 3,6 mil unidades. As vendas da Mercedes consequentemente também caíram, no patamar de 10%, ao registrar 2,07 mil unidades contra os 2,31 mil ônibus emplacados no 1º trimestre de 2019. Por outro lado, a empresa registrou maior participação de mercado no período, que passou de 50% para 57%.

O executivo conta que antes da pandemia, a Mercedes-Benz contava com a encomenda de grandes clientes que já tinham se programado para este ano, com um total de pelo menos 300 ônibus. Como a crise afetou fortemente o transporte de passageiros, o setor deverá perder pelo menos três meses de negócios.

“As compras pelos operadores estão temporariamente suspensas, não há previsão de compra para o segundo trimestre tanto para clientes do urbano quanto do rodoviário”, revela Barbosa.



Barbosa reforça que a fábrica de São Bernardo do Campo (SP), onde são fabricados os veículos comerciais da marca retoma suas atividades na segunda-feira, 4 de maio. Nesta primeira semana, 2 mil funcionários retornam para reiniciar a linha de montagem de caminhões. Na semana seguinte, mais 2 mil pessoas também voltam ao trabalho e retomam as operações da linha de ônibus.

“Evidente que a produção precisa ser ajustada e já estamos fazendo isso, a pandemia impactou pouco no primeiro trimestre, mas vai afetar muito no segundo trimestre. O mercado deve ter uma redução em torno de 35% dos volumes, então, a indústria vai se preparar para isso”, avaliou.



Tags: Mercedes-Benz, ônibus, vendas, mercado, Walter Barbosa, ônibus urbano, ônibus rodoviário, fábrica de ônibus, pandemia, produção.

Comentários

  • Eustáquio

    OWalter tem uma leitura muito boa do mercado de ônibus e realmente o fim da pandemia poderá dar uma visão mais sólida! O mundo mudou!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência