Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Renault muda estratégia na China para focar em utilitários e elétricos
A primeira fábrica da joint venture DRAC (Dongfeng Renault Automotive Company) na China fica em Wuhan: unidade deixará de produzir modelos da marca Renault, como o Kadjar

Negócios | 14/04/2020 | 18h43

Renault muda estratégia na China para focar em utilitários e elétricos

Montadora vai transferir à Dongfeng sua parte em joint venture que produz veículos a combustão

REDAÇÃO AB

O Grupo Renault anunciou uma série de mudanças que serão adotadas na China, maior mercado de veículos do mundo. Em comunicado divulgado na terça-feira, 14, a companhia informa que vai focar suas atividades de produção e vendas nos mercados de carros elétricos e de utilitários.


O grupo decidiu transferir sua participação de 50% na joint venture Dongfeng Renault Automotive Company (DRAC) para a Dongfeng Motor Corporation. Com isso, a DRAC criada em 2013 para a produção de veículos a combustão entre Dongfeng e Renault deixará de desenvolver atividades ligadas à marca francesa. Segundo a nota, um novo plano de médio prazo do grupo que contemplará os desenvolvimentos futuros de carros de passeio serão detalhados posteriormente.

Apesar disso, a Renault diz que continuará a fornecer serviços pós-venda por meio de sua rede de concessionárias e também das redes da Aliança Renault Nissan. Na China, a empresa contabiliza o equivalente a 300 mil clientes.

A Renault e a Dongfeng continuarão sua cooperação com a Nissan para o desenvolvimento da nova geração de motores, além do fornecimento de componentes para a DRAC e a licença para motores a diesel para a Dongfeng Automobile. As empresas firmaram um acordo para trabalhar em conjunto na área de veículos inteligentes e conectados.

Para o mercado de carros elétricos, o Grupo Renault definiu que eles serão desenvolvidos por meio de duas joint ventures já existentes: a eGT New Energy Automotive e a Jiangxi Jiangling Group Electric Vehicle (JMEV), criada em 2015. Por meio dela prevê cobrir 45% do mercado chinês de veículos elétricos já em 2022, com quatro modelos, sendo um deles o Renault City K-ZE, o primeiro elétrico criado por uma joint venture.

Ainda por meio da joint venture eGT, a Renault também prevê fortalecer sua parceria com a Nissan e a Dongfeng para fazer do K-ZE um carro global. Além disso, planeja outro modelo baseado no conceito Dacia Spring para ser vendido na Europa a partir de 2021.

Já no segmento de veículos utilitários leves, a companhia se utilizará da joint venture Renault Brilliance Jinbei Automotive (RBJAC), lançada em dezembro de 2017. Por meio da expertise e tecnologias Renault, a RBJAC está modernizando os modelos Jinbei e ampliando sua gama, prevendo um total de cinco novos produtos até 2023, que poderão ser exportados no futuro.

“Estamos abrindo um novo capítulo na China. Vamos nos concentrar em veículos elétricos e veículos utilitários leves, os dois principais motores da mobilidade limpa do amanhã, tirando proveito, de forma eficiente, de nossa relação com a Nissan”, declarou o diretor de operações do Grupo Renault para a China, François Provost.





Tags: Renault, mercado, China, carro elétrico, utilitário leve, Nissan, joint venture, Dongfeng, Jimbei.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência