Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Toyota e Hino desenvolvem caminhão elétrico a célula de combustível
Projeto utiliza como base o Hino Profia. Trem de força recebe células de combustível do novo Toyota Mirai

Engenharia | 09/04/2020 | 14h10

Toyota e Hino desenvolvem caminhão elétrico a célula de combustível

Veículo com 25 toneladas de PBT terá autonomia aproximada de 600 quilômetros

REDAÇÃO AB

A Toyota e sua divisão de caminhões Hino Motors fecharam acordo para o desenvolvimento de caminhões elétricos a célula de combustível. O modelo utilizado neste projeto conjunto é baseado no Hino Profia. Tem 25 toneladas de Peso Bruto Total (PBT).

O trem de força utiliza um motor elétrico e duas células de combustível da Toyota, desenvolvidas recentemente para a nova geração do automóvel Mirai.

O caminhão recebe também uma bateria de íons de lítio e tecnologias para veículos híbridos pesados criadas pela Hino. Um novo tanque de hidrogênio de alta pressão está em desenvolvimento. A autonomia aproximada é de 600 quilômetros.

O chassi foi projetado para acomodar as células de combustível e recebeu modificações para redução de peso. Além da boa autonomia e capacidade de carga, Toyota e Hino buscam um caminhão que possa ser reabastecido rapidamente, uma característica importante para veículos comerciais.

A decisão da Toyota e da Hino em desenvolver o caminhão vem da necessidade de reduzir as emissões de gás carbônico. Veículos pesados representam 60% do CO2 lançado na atmosfera pela frota japonesa.



Tags: Toyota, Hino Motors, Profia, PBT, Mirai, célula de combustível, hidrogênio, motor elétrico, íons de lítio.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência