Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 11/11/2008 | 00h00

Preço do carro zero subiu 0,23% em outubro

O preço do carro zero teve alta de 0,23% em outubro, segundo pesquisa mensal AutoInforme/Molicar. Foi um aumento pequeno, mas o maior dos últimos cinco meses, indicando que os preços estão mantendo a estabilidade neste segundo semestre.

Automotive Business

O preço do carro zero teve alta de 0,23% em outubro, segundo pesquisa mensal AutoInforme/Molicar. Foi um aumento pequeno, mas o maior dos últimos cinco meses, indicando que os preços estão mantendo a estabilidade neste segundo semestre. Mesmo no acumulado do ano a alta é pequena, ficando abaixo da inflação oficial: a pesquisa indica que, de janeiro a outubro, o carro ficou 2,27% mais caro. Mesmo com o dólar mais caro, os preços não subiram de forma expressiva, contrariando a tendência normal do mercado, principalmente dos carros importados. Na média, foi o setor de importados que teve a maior queda. Os carros da Land Rover ficaram 5,08% mais baratos, os da Volvo 4,97% e os da Mitsubishi tiveram queda de 1,97%. Mas em algumas importadoras a alta do dólar foi mais sentida e refletiu nos preços. Caso da Subaru, Hyundai e Mercedes-benz, que tiveram os preços de seus carros aumentados em 3,52%, 2,76% e 1,57%. O carro que mais subiu de preço em outubro foi a picape Strada Adventure 1.8 cabine estendida, da Fiat, que ficou 9,52% mais cara (de R$ 42 mil para R$ 46 mil). A picape grande F250 XLT 3.9 cabine simples 4x4, da Ford, foi o veículo que teve a segunda maior alta: de R$ 104,1 mil para R$ 113 mil, alta de 8,5% no mês. Outra picape, a Ford Courier L 1.6 flex, foi a terceira da lista, com alta de 8,3%.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência