Automotive Business
  

Notícias

Ver todas as notícias

Conjuntura | 06/03/2020 | 21h00

Alta do dólar traz custo extra de R$ 8 bilhões em peças importadas

É o impacto anual da desvalorização do real só no primeiro bimestre em importações de US$ 13 bilhões

PEDRO KUTNEY, AB

Desde o início do ano a cotação do dólar subiu de R$ 4,00 para R$ 4,60. Segundo a associação dos fabricantes e veículos, a Anfavea, o impacto desta desvalorização cambial de R$ 0,60 é de aumento de custos da ordem de R$ 8 bilhões este ano, levando em conta as importações de componentes de cerca de US$ 13 bilhões. O presidente da entidade, Luiz Carlos Moraes, afirma que é a favor do câmbio flutuante, mas teme que tamanha volatilidade possa reverter a frágil recuperação da economia, com danos evidentes aos resultados da indústria automotiva.



“O impacto de R$ 8 bilhões pode ser ainda maior se a desvalorização continuar nesse ritmo. Somos a favor do câmbio flutuante, mas em momentos de volatilidade intensa como agora é preciso fazer algo para conter a instabilidade”, afirma Luiz Carlos Moraes.



O presidente da Anfavea disse que esteve esta semana com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e externou a preocupação do setor com o derretimento do real – a moeda que mais se desvalorizou no mundo no primeiro bimestre do ano. Contudo, Moraes não tem nenhuma sugestão de medida objetiva para conter a desvalorização cambial: “O Banco Central tem instrumentos para isso, deve saber o que fazer”, contornou.

PREOCUPAÇÃO COM INSTABILIDADE



Durante a coletiva mensal da Anfavea para divulgação dos resultados da indústria, mesmo sem citar diretamente nenhum membro da desastrada administração federal, Moraes deixou claro o desconforto do setor com a instabilidade que vem sendo causada pela atual gestão, com declarações e movimentos políticos que alimentam incertezas e a própria volatilidade cambial.

“Basta ver os índices de confiança do consumidor e da indústria, que vinham melhorando e estão voltando a piorar. Isso acontece porque qualquer instabilidade afeta a expectativa e baixa a confiança. Alguma coisa precisa ser feita quanto a isso. É preciso fazer um pacto pela estabilidade, com menos barulho de Brasília, menos instabilidade política e mais crescimento”, defende Luiz Carlos Moraes.



O presidente da Anfavea afirmou que “não houve nenhuma surpresa com o baixo crescimento do PIB em 2019” divulgado esta semana, calculado em 1,1%. “Era exatamente isso o que esperávamos, mas essa volatilidade e instabilidade toda não ajuda em nada a retomar o crescimento”, resumiu.



Tags: Anfavea, peças importadas, dólar, câmbio, impacto, desvalorização, conjuntura, volatilidade, insegurança, instabilidade.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência