Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Kia Rio mexicano enfim chega ao Brasil
Rio vem em duas versões, LX e EX. Ambas recebem motor 1.6 com até 130 cv e câmbio automático de 6 marchas

Lançamentos | 28/01/2020 | 16h55

Kia Rio mexicano enfim chega ao Brasil

Hatch terá vida dura ao concorrer com Chevrolet Onix e companhia; preços começam em R$ 69.990

MÁRIO CURCIO, AB

A Kia Motors do Brasil passa a trazer, enfim, o modelo Rio. O carro foi mostrado nos Salões do Automóvel de São Paulo em 2016 e 2018, mas só agora desembarca no País, bem no momento em que o dólar teima em permanecer acima dos R$ 4. O hatch vem do México em duas versões, LX, de R$ 69.990, e EX, de R$ 78.990. Ambas são equipadas com motor 1.6 flex com até 130 cavalos e transmissão automática de seis marchas.

“Quando os carros foram encomendados à fábrica mexicana, a cotação do dólar estava em R$ 3,75”, afirma o presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini.



A missão do Rio será bem difícil: concorrer com o novo Chevrolet Onix, além de Fiat Argo, Ford Ka, Hyundai HB20, Toyota Yaris e Volkswagen Polo. Por causa disso a pretensão é pequena, cerca de 2% desse mercado: “Esperamos 2,4 mil unidades no ano”, afirma o diretor de vendas, Ary Jorge Ribeiro. Num primeiro momento, 80% das entregas estarão concentradas na versão EX, mais completa.

Como se sabe, a Kia Motors faz parte do Grupo Hyundai e por isso o Rio poderia receber motores 1.0 de três cilindros (aspirado ou turbo) aplicados no brasileiro HB20, o que resultaria em redução de quatro pontos porcentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), mas a matriz da Kia teria decidido pela aplicação apenas do motor 1.6, também adotado no Brasil pelo HB20.


Novo Kia tem volante com controles de áudio e central multimídia com tela de 7” desde a versão de entrada. Acabamento geral agrada e Rio EX, mais completo, recebe couro nos bancos e nas laterais

Com o novo carro, a Kia espera fechar 2020 com 12 mil veículos emplacados, o que resultaria em alta próxima a 30% sobre 2019. O crescimento virá pelo Rio, pelo novo Cerato (apresentado no fim de 2019), por outros lançamentos previstos para 2020 e pela abertura de cerca de 15 novos pontos de venda, que vão se somar aos atuais 80.

O QUE O RIO OFERECE


O Kia Rio foi lançado em 2000 e está em sua quarta geração. Desde a versão LX ele vem equipado com acendimento automático dos faróis, central multimídia com tela de sete polegadas, Bluetooth e comando de voz, banco traseiro bipartido, câmera de ré, controles eletrônicos de tração e estabilidade, monitoramento da pressão dos pneus, rodas de liga leve, controles de áudio no volante, direção elétrica e, claro, ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico.

O Rio EX recebe ar-condicionado com controle digital, retrovisores externos com setas, rebatimento e aquecimento, além de piloto automático, revestimento interno de couro, console central com apoio de braço, luzes diurnas de LED, faróis com cornering lights (luzes auxiliares que se acendem ao esterçar o volante) e entrada USB no banco traseiro.

Nenhum deles, no entanto, recebe sistema start-stop, que desliga e religa o motor em tráfego pesado, ajudando na economia de combustível. Pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, o consumo cidade/estrada foi de 7,2/9,3 km/litro com etanol. Os dados informados sobem para 10,5/13,4 km/litro com gasolina. A Kia não informa velocidade máxima nem aceleração de zero a 100 km/h.

DIMENSÕES E ESPAÇO INTERNO


O Rio mede 4,06 metros e tem 2,58 m de distância entre eixos. É grande o conforto para quem vai nos bancos da frente. No banco traseiro há bom espaço para os joelhos. Lá atrás, bom mesmo é viajar em dois. Em três, os que estiveram sentados nas pontas ficarão com suas cabeças muito próximas ao revestimento do teto.


Rio mede 4,06 metros de comprimento e tem 2,58 m de distância entre eixos, o que resulta em bom espaço interno. Porta-malas comporta 325 litros

O volume do porta-malas informado pela Kia é de 325 litros. O estepe é acessado por dentro do porta-malas e em volta dele há lugar para acomodar objetos menores, o que permite aproveitar melhor o espaço para bagagem.

CONFORTÁVEL


O Rio não teve suspensões acertadas especificamente para o Brasil, são iguais às do carro vendido no México, mas mesmo assim o conforto é adequado. O hatch é agradável de dirigir.

O motor às vezes demora para responder por causa da transmissão, que costuma reduzir duas em vez de uma marcha sem necessidade, fazendo as rotações de seu 1.6 dispararem.

Vale dizer que esse câmbio automático também permite trocas manuais, mas só pela alavanca de transmissão. Não há borboletas atrás do volante para nenhuma versão.



Tags: Kia, Rio, Ary Jorge Ribeiro, José Luiz Gandini, Chevrolet, Onix, Fiat, Argo, Ford, Ka, Hyundai, HB20, Toyota, Yaris, Volkswagen, Polo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência