Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Fiat vê 2019 como seu ano da virada

Mercado | 26/11/2019 | 19h02

Fiat vê 2019 como seu ano da virada

Com estimativa de vendas 6% maiores, participação de mercado volta a subir

SUELI REIS, AB

Para a Fiat, 2019 é o seu ano da virada: após encerrar 2018 com queda em sua participação de mercado, a companhia agora espera crescimento de 6,1% das vendas neste ano e com isso elevar sua fatia em 0,8 ponto porcentual para 14%, mesmo índice que prevê para 2020. Se seu desempenho for confirmado, a empresa terá emplacado 20 mil veículos a mais do que no ano passado e encerrará 2019 com mais de 345,7 mil automóveis e comerciais leves vendidos.

No entanto, manter a mesma fatia de mercado é um desafio para uma marca como a Fiat que diferente de outras concorrentes, não possui na linha de produtos um SUV para chamar de seu. O segmento é o que mais cresce no mercado nos últimos cinco anos, mesmo período em que a empresa vem perdendo espaço e vendas substanciais.

Seu único modelo que se assemelha a um utilitário esportivo é uma picape, a Toro, que para o alívio da companhia, é a vice-líder de sua categoria, justamente atrás de sua picape menor, a Strada. Juntas, as duas representam 41% das vendas totais de picapes no Brasil.

A Fiat confirma que pretende preencher a lacuna dos utilitários esportivos, mas só a partir de 2021, com o lançamento de dois SUVs.

“Tem um cenário bastante favorável para a Fiat no ano que vem e nos próximos anos”, estima o diretor comercial da marca, Herlander Zola. “Estamos nos preparando para voltar a ser protagonista no mercado brasileiro com uma cobertura muito maior sob a ótica de portfólio de produtos”, completa.

Ele acrescenta que mesmo sem SUVs na linha, a marca cobre quase 70% dos nichos do mercado.

ENQUANTO OS SUVS NÃO VÊM


Por enquanto, a companhia comemora os feitos deste ano, quando despontou como a marca que mais cresceu em vendas no varejo. Os números de mercado apontam que embora seus volumes sejam mais baixos do que concorrentes tradicionais, como GM e Volkswagen, a Fiat elevou em 0,9 ponto porcentual as vendas para o consumidor final, à frente de Caoa Chery, que cresceu 0,7 p.p., VW e Renault, ambas com 0,6 p.p. a mais. Além de Toro e Strada, a empresa atribui o resultado ao bom momento de nichos atendidos por seus comerciais leves, como Ducato e Fiorino, que também detém 41% das vendas em sua categoria.

“Estamos recuperando espaço no varejo, o que é resultado de um trabalho que vem sendo feito ao longo de todo o ano, com uma relação mais estreita com os concessionários e também com clientes”, ressalta Zola.

Para isso, a Fiat vem investindo na modernização de sua rede, que hoje conta com 520 concessionárias, além do lançamento de novos produtos e serviços, como as concessionarias digitais, conceito apresentado em 2018 para otimização da experiência do cliente na revenda. Atualmente, a rede conta com duas unidades modelo, uma na Avenida Pacaembu e outra em Campinas, ambas no estado de São Paulo. Segundo o executivo, serão mais duas até o fim deste ano, uma em Cabo Frio (RJ) e outra em Fortaleza (CE). Até o fim de 2020, a Fiat planeja doze concessionárias digitalizadas na rede.



Tags: Fiat, vendas, mercado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência