Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mini considera expandir rede de revendas em 2020
Fabrício Molina, gerente de vendas, produto e preço, espera fechar 2019 com 1,7 mil carros emplacados (foto: Mário Curcio)

Mercado | 08/11/2019 | 23h20

Mini considera expandir rede de revendas em 2020

Empresa estuda novas praças com lojas que abriguem a própria Mini e a BMW sob o mesmo teto

MÁRIO CURCIO, AB

A rede de revendas Mini tem atualmente 22 pontos de venda e pode ser ampliada em 2020. As lojas atuais são formadas por quatro concessionárias exclusivas da marca e outras 18 que reúnem ora Mini e carros BMW, ora Mini, carros e motos BMW e por fim uma unidade Mini+motos BMW.

“Estamos estudando algumas grandes cidades no interior dos Estados. É mais provável que as próximas lojas reúnam as duas marcas”, afirma o gerente de vendas, produto e preço, Fabrício Molina.



O executivo concedeu entrevista a Automotive Business durante a apresentação dos modelos Countryman e Clubman John Cooper Works ALL4. A ampliação da rede seria um caminho para aumentar as vendas, que no acumulado até outubro somavam 1.317 unidades, registrando ligeira queda de 3,9% ante iguais meses do ano passado.

“Queremos fechar o ano em 1,7 mil unidades”, diz Molina, confiante na aceleração dos resultados até o fim do ano por causa de um evento preparado para 600 potenciais clientes num autódromo no interior de São Paulo.

“Entre 60% e 70% dos compradores de Mini fecham negócio à vista. Alguns já estão em entendimento com as concessionárias e vêm ao autódromo fazer o test drive. É muito grande a possibilidade de eles comprarem o carro depois de acelerar na pista”, estima o executivo.



A atmosfera criada em torno dos potenciais clientes é bem cativante. Em cada canto que se vá existem carros e objetos da marca Mini, sorvetes, comidinhas, espaço kids. Em um totem é possível simular o valor de entrada e parcelas restantes, com saldo em até 36 meses.

“Os concessionários também estão aqui, bem como os executivos de vendas e representantes da Mini Serviços Financeiros”, recorda Molina.

POSSÍVEL VOLTA A ARAQUARI


O executivo admite que a volta da nacionalização de carros Mini na fábrica do grupo em Araquari (SC) está nos planos da companhia, mas não sabe dizer em que ano isso pode ocorrer nem o modelo cogitado. O Mini Countryman começou a ser montado em Santa Catarina em outubro de 2015 e ficou em produção por cerca de um ano.

A retração do mercado brasileiro naquele período, somada à renovação pela qual o Countryman passou em 2017, acabaram inviabilizando continuidade da montagem local.



Tags: Mini, BMW, motos, Fabrício Molina.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência