Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
FPT mostra sua visão do futuro na Fenatran
Cursor X poderá ser aplicado em veículos, máquinas agrícolas ou de construção (foto: Mário Curcio)

Engenharia | 14/10/2019 | 11h15

FPT mostra sua visão do futuro na Fenatran

Empresa traz ao Brasil o Cursor X, que reúne propulsão a gás, eletricidade e hidrogênio

MÁRIO CURCIO, AB



A FPT, empresa do Grupo CNH Industrial, mostra pela primeira vez no Brasil o Cursor X. Em vez de um motor convencional movido a um ou dois combustíveis diferentes, ele se propõe como unidade capaz de funcionar somente com eletricidade, em modo híbrido (combinando um propulsor a gás e o elétrico) e a partir de uma célula de combustível movida a hidrogênio. Ainda como conceito, o Cursor X é mostrado na Fenatran 2019, que ocorre de 14 a 18 de outubro no São Paulo Expo.

De acordo com a empresa, em veículos comerciais ele permitirá autonomia de 200 quilômetros em modo elétrico, 400 km operando como híbrido e até 800 km com a entrada da célula de combustível.

“Temos uma série de desafios para os próximos dez anos e o Cursor X traz conceitos relacionados àquilo que estudamos para nossos futuros produtos. Ele é uma solução completa, não focada somente no motor”, afirma o diretor geral para pesquisa e desenvolvimento da FPT Industrial, Philip Scarth.



Como o Cursor X ainda é um conceito, o executivo ainda não tem data prevista para sua chegada ao mercado, mas já prevê diferentes aplicações, como em veículos de resgate, máquinas agrícolas e de construção.

“Ele será um produto modular, flexível e com montagem fácil. Poderá fornecer tração para qualquer veículo ou máquina. Sua eletrônica permitirá total integração com o veículo e até a capacidade de aprender e compartilhar informações durante a operação”, garante Scarth.

Em curto prazo, a FPT admite que os motores a diesel ainda terão larga aplicação no Brasil e outros mercados, mas recorda que a utilização de gás ganha espaço na Argentina e o Peru já tem uma frota de 800 ônibus rodando com esse combustível.

“No Brasil haverá maior desenvolvimento dos veículos flex e da aplicação do biodiesel. A utilização de biometano também é positiva por causa do impacto do carbono. É importante continuar investindo nessas tecnologias como ponte para a eletrificação”, conclui o presidente para a FPT na América Latina, Marco Rangel.





Tags: FPT, CNH Industrial, Cursor X, Fenatran, Philip Scarth, Marco Rangel, célula de combustível, hidrogênio, híbrido.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência