Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Novo Toyota Corolla ganha versão híbrida flex e qualidades para liderar
Novo Corolla 2020 ganha opção inédita com motor híbrido flex desenvolvido pela Toyota

Lançamentos | 03/09/2019 | 18h30

Novo Toyota Corolla ganha versão híbrida flex e qualidades para liderar

Com preços de R$ 99.990 a R$ 124.990, sedã feito sobre plataforma TNGA deve continuar na liderança do segmento

PEDRO KUTNEY E SUELI REIS, AB

Com o Corolla, a Toyota comprova que time que está ganhando pode e deve ser mexido, para melhorar. Em sua 12ª geração, que começou a ser produzida em agosto na fábrica brasileira de Indaiatuba (SP) após investimento de R$ 1 bilhão, o carro mais vendido do mundo passou por uma das mais profundas mudanças em seus 50 anos de história, agora é construído sobre a moderna plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture), e com isso ganhou mais qualidades para continuar liderando.

Entre essas qualidades, inclui-se a flexibilidade de usar powertrain convencional ou elétrico híbrido – e no caso brasileiro tem o apelo de se tornar o primeiro carro híbrido flex do mundo, que roda com motor a combustão bicombustível etanol-gasolina aliado ao elétrico, o que faz dele o mais econômico o veículo flex já lançado, além de ser o híbrido mais “limpo” quando abastecido com etanol, biocombustível que tem balanço neutro de emissões de CO2.

É uma economia cara, já que a versão híbrida custa R$ 124.990, o mesmo preço do Corolla mais caro da linha 2020 – apesar de ser beneficiado pela legislação por ser um híbrido flex e pagar IPI três pontos porcentuais abaixo da taxação convencional. Mas o novo membro da família não deve custar ao modelo sua liderança folgada na categoria de sedãs médios no País, que já dura cinco anos. A Toyota tem em vista que a novidade tecnológica nacional deve impulsionar a demanda por esse tipo de powertrain entre os consumidores brasileiros, por isso espera vender cerca de mil Corolla híbridos por mês.

Este volume, segundo estimam os executivos da marca japonesa no Brasil, deverá ser somado a 3,5 mil unidades/mês das três versões disponíveis (de R$ 99.990 a R$ 124.990) do modelo equipado com o novo motor 2.0 de 177 cavalos – agora também nacional, fabricado em Porto Feliz (SP). Com isso, a média mensal de venda do Corolla deve ser de 4,5 mil, exatamente o mesmo volume da geração anterior vendida entre janeiro e agosto deste ano, com 36.640 emplacamentos em oito meses, o que coloca o carro na 11ª posição entre todos os automóveis mais vendidos do Brasil e na liderança folgada do segmento de sedãs médios, com participação de 45% na categoria e o dobro de vendas do segundo colocado Honda Civic.

Com as novidades tecnológicas e o design mais moderno do novo Corolla, a Toyota espera continuar agradando os clientes tradicionais do sedã (considerados conservadores), mas também atrair novos interesses. Esse objetivo foi alcançado na campanha de pré-lançamento, que mesmo sem muita divulgação atraiu 50 mil potenciais compradores que se inscreveram no site da marca para receber informações sobre o carro. Eles serão avisados que o modelo estará à venda nas concessionárias a partir de 12 de setembro.

Ao apresentar o modelo à imprensa especializada na terça-feira, 3, o presidente da Toyota no Brasil Rafael Chang declara que o modelo representa o quanto a Toyota acredita no Brasil e no seu potencial de recuperação.

“Mantivemos nosso plano de investir e esse investimento é fundamental para o desenvolvimento da TNGA. Por isso, nosso Corolla é globalmente competitivo”, disse Rafael Chang, presidente da Toyota no Brasil.



MAIS QUALIDADES



Além do Brasil, o novo Corolla 2020 também vai estrear em outros mercados: além dos países do Mercosul, para onde já eram exportadas as gerações anteriores, o modelo será enviado pela primeira vez a partir do Brasil para Colômbia, Peru, Bolívia e Chile: neste último, o Corolla era importado da Tailândia.


Design externo totalmente renovado, incluindo a traseira

A Toyota produz o Corolla em Indaiatuba desde 1998 e desde então já fez cerca de 1,1 milhão de unidades na planta do interior paulista. O carro vem melhorando em aparência, conforto e desempenho a cada geração. Agora sobre a plataforma TNGA, a fabricante confia que as qualidades do sedã tenham evoluído ainda mais. Com o desenvolvimento do powertrain híbrido flex, a engenharia brasileira foi mais atuante, calibrou o sistema em testes feitos com o Prius, mas todo o powertrain, incluindo os motores elétricos e a combustão, seguirá sendo importado do Japão enquanto a demanda não viabilizar o custo da produção no Brasil.

“O novo Corolla é o melhor carro que a Toyota já produziu no Brasil”, define o vice-presidente Miguel Fonseca.



Além dos atributos sempre reconhecidos pelos clientes tradicionais do Corolla, principalmente qualidade, confiabilidade, durabilidade e bom valor de revenda, a Toyota acrescentou mais emoção à nova geração do sedã, com design mais dinâmico, acabamento caprichado, maior número de sistemas eletrônicos de assistência ao motorista, conectividade e dirigibilidade aprimorada, garantindo maior prazer de dirigir – para aqueles que ainda gostam disso.

O novo Corolla ficou mais baixo, o que confere visual esportivo e dinâmica estável ao carro, garantida também pela nova suspensão traseira independente. Ao mesmo tempo, o para-choque dianteiro foi alargado para causar impressão de robustez – que para além da sensação também é um fato, pois o uso de aços de alta resistência aumentou em 60% a rigidez da carroceria, segundo os engenheiros da Toyota. A área envidraçada cresceu para que os olhos dos ocupantes vejam mais espaço interno, já que na prática as dimensões do sedã sejam parecidas com as da geração anterior.

Um sutil elemento de design é utilizado pela Toyota para diferenciar o Corolla híbrido do irmão a combustão: a cor azul do logo da Toyota na grade frontal e nas luzes de LED das lanternas dianteiras. Na traseira foi afixada a identificação “Híbrido Flex”.

Com a plataforma TNGA, também vieram novas tecnologias de segurança, integradas pelo conceito Toyota Safety Sense (TSS), disponível somente na versão topo de linha Altis. O sistema inclui uma câmera e um radar que monitoram a dianteira para fazer funcionar o controle de velocidade adaptativo (ACC, que ajusta aceleração e frenagem mantendo distância segura do carro à frente), frenagem automática de emergência (no caso, sem capacidade de detecção de pedestres como em sistemas mais avançados), alerta de saída da faixa de rodagem e farol alto/baixo automático (reduz a luminosidade automaticamente quando detecta um carro na direção oposta).

Outro aspecto melhorado foi o sistema de infoentretenimento, desenvolvido no Brasil em conjunto com a Pioneer. A tela sensível ao toque de 8 polegadas agrega os controles de áudio, navegação e conexão com o smartphone via Android Auto ou Apple Car Play.

DESEMPENHO MELHOR E CONSUMO MENOR




Painel de instrumentos e central multimídia digital

O desempenho do novo Corolla também melhorou com o novo motor 2.0 Dynamic Force de 177 cavalos e com o inovador sistema alternado de injeção indireta para baixas rotações e direta para altas. Com isso, o sedã ganhou 20 cavalos extras e está 15% mais potente e sem prejuízo à economia, já que segundo a Toyota o consumo é até 9% menor em relação ao Corolla 2.0 anterior. Todos os novos Corolla são equipados com transmissão automática tipo CVT da Aisin, importada do Japão.

Quem escolher o Corolla híbrido flex também terá bom desempenho – trabalhando em conjunto os dois motores: um elétrico e um 1.8 a combustão flex que juntos geram cerca de 125 cavalos – e muita economia de combustível. De acordo com medições do Inmetro, o consumo energético da versão híbrida é de 1,38 megajoule por quilômetro (MJ/km). Como comparação, o Renault Kwid 1.0 gasta um pouco mais: 1,39 MJ/km.

Ainda de acordo com a tabela do Inmetro, o Corolla híbrido com 1 litro de etanol roda na cidade 10,9 km e 9,9 km na estrada – o consumo maior em rodovia explica-se pelo maior uso do motor a combustão em velocidades elevadas. O sedã equipado somente com motor a combustão faz 8 km/l em uso urbano e 9,7 km/l na estrada. Com gasolina, o índice é de 16,3 km/l e 14,5 km/l para o híbrido, enquanto o convencional faz 11,6 km/l e 13,9 km/l.

Em medições paralelas encomendadas pela Toyota ao Instituto Mauá, menos conservador que o Inmetro, o consumo do Corolla híbrido foi ainda melhor: 13,3 km/l e 11,9 km/l com etanol respectivamente na cidade e na estrada; e 20,8 km/l e 17,4 km/l com gasolina.

VERSÕES E PREÇOS




Acabamento interno e bancos do Corolla na versão topo de linha Altis híbrido flex

O novo Corolla traz pacote bastante completo de equipamentos desde a versão mais básica. Todas as versões são automáticas – só carros para exportação serão equipados com câmbio manual. Veja abaixo preços e versões:

GLi 2.0: R$ 99.990,00
Sistema multimídia com tela central de 8 polegadas, painel de instrumentos com tela de TFT de 4,2 polegadas, alarme volumétrico, retrovisores externos com rebatimento elétrico, sete airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração, ar-condicionado, rodas de liga leve de 16 polegadas.

XEi 2.0: R$ 110.990,00
Agrega aos equipamentos do GLi ar-condicionado digital, rodas de liga leve de 17 polegadas, bancos revestidos em couro, retrovisor interno eletrocrômico, farol de neblina em LED, transmissão com moto “Sport”, aletas no volante para troca manual simulada de marchas, controle de velocidade de crizeiro, chave presencial para travar/destravar portas e partida no botão.

Altis 2.0 e Altis híbrido flex: R$ 124.990,00
Todos os equipamentos das versões GLi e Xei, mais farol e lanternas em LED e Toyota Safety Sense com frenagem automática de emergência, alerta de saída da faixa de rodagem e controle de velocidade adaptativo (ACC).

Altis Premium Pack (de série no 2.0 e opcional no híbrido): R$ 139.990,00
Agrega teto solar, interior em duas cores, banco do motorista com ajuste elétrico, rebatimento automático dos retrovisores, sensor de chuva, ar-condicionado de duas zonas de temperatura, rodas 17” diamantadas, moldura cromada nas janelas.

O novo Corolla está sendo lançado com garantia de cinco anos tanto para a versão 2.0 quanto para o híbrido flex. A versão híbrida também contará com mais oito anos (total de 13 anos) de garantia estendida para o sistema híbrido e o módulo de controle de energia.


Detalhe da traseira do Corolla versão topo de linha Altis na opção híbrido flex



Tags: Toyota, Corolla, Corolla 2020, lançamento, TNGA, híbrido flex, Indaiatuba.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência