Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Estratégia | 13/08/2019 | 13h48

Eletra amplia negócio de transformação de caminhões e ônibus a diesel em modelos elétricos

Empresa fará parceria com transportadoras para aumentar volume do serviço de retrofit, que tem preço 40% menor do que veículo novo

GIOVANNA RIATO, AB

O mercado de veículos leves eletrificados só começou a dar algum sinal de expansão no Brasil nos últimos anos. No segmento de pesados, no entanto, este tipo de propulsão tem espaço há algumas décadas, segundo aponta a Eletra, empresa brasileira focada no desenvolvimento de caminhões e ônibus com tração elétrica. Iêda Maria Oliveira, diretora de estratégia e gestão, diz que a empresa quer ampliar o negócio de retrofit de veículos, a substituição completa do trem de força a combustão por um elétrico ou híbrido em modelos usados.

A executiva falou sobre o tema durante 8º Simpósio SAE Brasil de Veículos Elétricos e Híbridos, na terça-feira, 13. Segundo ela, a empresa trabalha com este modelo de negócio desde 2010 e agora planeja uma guinada nessa frente: “Nos próximos meses vamos anunciar parceria com algumas transportadoras em que teremos um grande volume de fornecimento desta solução”, conta. Ela não detalha volumes, apenas diz que, até então, a oferta estava concentrada nos segmentos de transporte de bebidas e de veículos refrigerados. Agora a demanda tende a crescer, segundo a executiva.

PROMESSA É DE ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE


Iêda preferiu não especificar valores, já o custo varia de acordo com o projeto, dependendo do nível de autonomia e, portanto, da bateria que será necessária. Ainda assim, ela estima que a economia gire em torno de 40% na comparação com a compra de um caminhão ou ônibus novo com motorização equivalente. “Garantimos 20 anos de uso para o kit de tração eletrificado usado no retrofit”, conta. E prossegue:

“A grande vantagem é a sustentabilidade. Se você comprasse um ônibus novo, por exemplo, revenderia o antigo a combustão, que continuaria poluindo. Neste caso você roda por mais tempo e com menos emissões”, diz Iêda.

A executiva lembra que o kit pode ser ainda transferido de um veículo para outro após um período de uso. Assim, se a empresa decide substituir o ônibus ou caminhão, pode aproveitar o mesmo conjunto de tração eletrificada para equipar o modelo mais recente.

Segundo Iêda, diversificar as tecnologias é a melhor estratégia de eletrificação. “O maior erro que podemos cometer como empresa e como país é focar em apenas uma solução, como o etanol ou somente no elétrico. Temos que abrir o leque e, assim, ampliar o nosso potencial."



Tags: Eletra, ônibus, elétrico, híbrido, veículos comerciais, inovação, tecnologia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência