Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Ford Territory chinês chega em 2020 ao Brasil e Argentina
Engenharia da Ford no Brasil está fazendo adaptações no SUV desde o início de 2019

Lançamentos | 07/08/2019 | 18h32

Ford Territory chinês chega em 2020 ao Brasil e Argentina

Após importação, SUV médio deverá ser fabricado na Argentina

PEDRO KUTNEY, AB

Após quase um ano de dissimulações e rodeios, a Ford finalmente confirmou o que parecia óbvio desde a exposição ao público brasileiro no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro de 2019, do seu SUV médio chinês Territory. A fabricante confirmou na quarta-feira, 7, que irá vender o modelo a partir de 2020 nos mercados do Brasil e da Argentina. Segundo executivos da Ford, o carro será “inicialmente” importado da China, onde é produzido desde o ano passado em sociedade (joint venture) com a JMC (Jiangling Motors Corporation).

O que também parece óbvio sobre o SUV, mas ainda não confirmado oficialmente pela Ford, é que o Territory deverá ser produzido localmente no Mercosul, mais precisamente na planta argentina de General Pacheco, que hoje só produz a picape média Ranger e opera com ociosidade em torno de 40%.

Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul, confia que o Territory trará um novo alento à marca na região, que hoje padece com poucas novidades e apenas três modelos produzidos no Brasil (Ka, Ka Sedan e EcoSport) e um na Argentina (Ranger). Ele quase que confirma a produção local do novo SUV quando usou a expressão “inicialmente importado da China” para anunciar a vinda do Territory para a região.

“Produtos são o coração de nossa empresa. O lançamento do Territory no Brasil e na Argentina em 2020 marcará o início de uma nova era da Ford na região”, disse Lyle Watters.




SUV de porte médio, no Brasil o Ford Territory deve brigar na mesma faixa de mercado do Jeep Compass

Sintomaticamente também presente ao evento da quarta-feira em São Paulo, junto com jornalistas argentinos, o presidente da Ford Argentina, Gabriel López, em seu discurso quase que confirmou a produção do Territory no país vizinho.

“Conseguimos consolidar o produto Argentina. O Territory será um excelente agregado para fortalecer a imagem da linha Ford no país, que já tem 106 anos de história e contando”, disse Gabriel López.



ADAPTAÇÕES, TECNOLOGIA E CONECTIVIDADE



Segundo Rogelio Golfarb, vice-presidente da Ford América do Sul responsável por relações institucionais da empresa, a decisão de lançar o Territory nos mercados brasileiro e argentino foi tomada logo após a exibição do carro no Salão de São Paulo, em novembro de 2018. “Vimos que a aceitação foi boa e decidimos que tínhamos de trazer o carro”, disse. Ele informa ainda que desde o início deste ano a engenharia local começou a trabalhar em uma série de adaptações que serão aplicadas ao modelo para os clientes brasileiros e argentinos.

Golfarb afirma que não é possível trazer o Territory antes de 2020 “porque essas adaptações levam tempo, os brasileiros gostam de dinâmica de direção e desempenho diferentes dos chineses, temos de preparar uma série de modificações de engenharia antes de começar a vender o carro”.


Uma das principais qualidades do Ford Territory é o generoso espaço interno, mas no Brasil os bancos brancos têm poucas chances, deverão ser substituídos pelos tradicionais revestimentos pretos e cinza

Com dimensões generosas, 4,58 m de comprimento, 1,94 m de largura, 1,67 m de altura, o Territory é um SUV médio que no Brasil deverá enfrentar concorrentes como o Jeep Compass (o mais vendido da categoria) e outros coadjuvantes do mesmo porte em tamanho e conteúdo como Chevrolet Equinox, Caoa Chery Tiggo 7, Peugeot 3008 e Hyundai New Tucson.

Para brigar nessa faixa de mercado, além da oferta do bom espaço interno (o maior da categoria nos assentos traseiros, segundo a montadora), a Ford aposta em muita conectividade a bordo, carregamento sem fio para celular, central multimídia e painel de instrumentos com telas de 10 polegadas, sistemas tecnológicos de assistência ao motorista como câmera de visão 360 graus com visão virtual de cima (bird eye), piloto automático adaptativo (ACC), estacionamento automático, alerta de permanência em faixa e monitoramento de ponto cego.

A Ford quer que o Territory seja uma referência em conectividade, com funcionalidades inéditas no mercado brasileiro. O SUV tem um modem embarcado que mantém o carro conectado e rastreado o tempo todo, em ligação direta com o aplicativo FordPass, que permite ao motorista travar, destravar, dar partida, localizar e obter informações de telemetria do carro remotamente, por meio de um smartphone. Esse recurso também poderá viabilizar a oferta de novos serviços, como seguros baseados no uso do cliente.

A Ford ainda esconde a maioria dos detalhes técnicos do Territory a ser vendido aqui, não confirma nem mesmo a motorização – mas faz sentido esperar que o carro venha da China equipado com o mesmo powertrain usado lá, 1.5 turbo de 145 cv e câmbio automático tipo CVT, mas é provável que uma das adaptações de engenharia para o Brasil seja a introdução de um módulo flex para o motor funcionar com etanol ou gasolina.



Tags: Ford Territory, lançamento, Argentina, Brasil, SUV, JMC China.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência