Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
GM investe R$ 60 milhões no campo de provas brasileiro
Pistas do Campo de Provas da Cruz Alta (CPCA) somam 44 km e estrutura local inclui 7 laboratórios

Engenharia | 29/07/2019 | 16h55

GM investe R$ 60 milhões no campo de provas brasileiro

Estrutura chega aos 45 anos com novos equipamentos e mais uma pista de testes

REDAÇÃO AB

O campo de provas da GM em Indaiatuba (SP) comemora 45 anos de atividades com investimentos de R$ 60 milhões em ampliações para desenvolvimento de novos veículos, conectividade, segurança e eficiência energética.

O aporte resultou na adição de equipamentos para os sete laboratórios, como os de motores e eletroeletrônica, e a construção da décima-sétima pista de testes. O complexo ocupa uma área equivalente a 160 mil campos de futebol.

“O campo de provas conquistou um novo patamar por causa do desenvolvimento de uma família global de veículos. O Onix mostrou que a engenharia brasileira é referência mundial na concepção de carros compactos”, afirma o diretor das instalações de Indaiatuba, Ricardo Fanucchi .




Outro trabalho realizado no CPCA (Campo de Prova da Cruz Alta, nome de batismo do local) é a validação de itens de conectividade, segurança e eficiência energética. “Queremos continuar democratizando tecnologias como a internet veicular e os motores turbinados de alto rendimento e baixo consumo, além de equipamentos eletrônicos e até autônomos de segurança”, detalha o executivo.

A nova pista dentro do complexo é a rampa estendida, com diferentes ângulos de inclinação para simular longas subidas. Ela é utilizada para complementar os parâmetros de calibração de sistemas eletrônicos. A pista também torna os testes de durabilidade mais parecidos com situações reais de uso.

A soma de todas as pistas do CPCA chega a 44 quilômetros. Os laboratórios, oficinas e demais estruturas somam 27 mil metros quadrados. Segundo a GM, as equipes de mecânicos, engenheiros e motoristas de testes se revezam dia e noite e com isso é possível simular em seis meses o desgaste que um carro sofreria em dez anos.

Segundo a GM, a cada ano são feitos 10 mil testes no CPCA. O consumo diário de combustível é de 8 mil litros. Para os testes de corrosão são utilizados a cada ano 90 toneladas de sal grosso.

LABORATÓRIOS DO CPCA


As instalações do campo da GM incluem os seguintes laboratórios: análise de emissões (1979); segurança veicular (1997); ruídos e vibrações (1997); para testes estruturais (2000); para desenvolvimento de ar-condicionado, ventilação e arrefecimento (2000); eletroeletrônica (2009); e dinâmica veicular (2013).



Tags: GM, campo de provas, Cruz Alta, CPCA.

Comentários

  • Vagner

    Parabénsa direção da empresa por decisões sabias que acabam refletindo na qualidade do produto e aumentando as vendas.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência