Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Venda a prazo de veículos leves cresce 5,3% no semestre

Crédito | 16/07/2019 | 16h48

Venda a prazo de veículos leves cresce 5,3% no semestre

CDC avança 6,8%, com 635,3 mil unidades; consórcio recua 3,5% no período

REDAÇÃO AB

A venda a prazo de veículos leves no primeiro semestre somou 635,3 mil unidades e registrou alta de 5,3% sobre o mesmo período do ano passado. O número inclui negócios por Crédito Direto ao Consumidor (CDC), consórcio e leasing. A informação foi divulgada pela B3, empresa de infraestrutura do mercado financeiro. A cada novo mês que se soma, cresce a vantagem sobre o ano anterior. O acumulado até abril mostrava alta de 2,2%, que passou a 4,6% no acumulado até maio.

- Faça aqui o download dos dados da B3
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência




A modalidade CDC continua puxando as vendas a prazo de veículos leves. Respondeu por 572,3 mil unidades do segmento (90% do total) e cresceu 6,8%. Já os consórcios recuaram 3,5% para os veículos leves novos no primeiro semestre. Com 51,3 mil unidades, representaram 8,1% das vendas financiadas. Os negócios a prazo com veículos pesados zero-quilômetro totalizaram 59,4 mil unidades e cresceram 40,7%. A alta é puxada por diferentes segmentos. Pelo lado dos caminhões, continua motivada pelo agronegócio e em alguma medida pelo varejo. Pelos ônibus o crescimento decorre de renovações de frota para o transporte urbano.

O segmento de motos anotou 363,8 mil unidades negociadas a prazo e crescimento de 13,9% sobre o primeiro semestre de 2018. Sozinho, o CDC respondeu por 226,9 mil unidades (62,4% das vendas parceladas) e anotou alta de 22,4%, superando o crescimento dos emplacamentos no período (16%). Os consórcios responderam por 128,9 mil unidades no primeiro semestre, o equivalente a 35,4% das vendas a prazo. Cresceram 1,9% no período.

ALTA DE 8,2% EM VEÍCULOS LEVES USADOS


De acordo com a B3, de janeiro a junho o mercado registrou 1,65 milhão de veículos leves usados negociados a prazo, registrando alta de 8,2%. Assim como para os veículos leves zero-quilômetro, o CDC respondeu por 90% dos negócios com os usados.

Nos pesados, os financiamentos para usados registraram alta de 12,1%, com 69,5 mil unidades negociadas. Entre as motos de segunda mão o crescimento sobre o primeiro semestre de 2018 foi mais expressivo, 19,9%, com 83,4 mil unidades negociadas a prazo. Isso se explica pelo aumento na venda de motos novas, que vem fazendo girar os estoques de usadas pela maior presença de financeiras dentro das concessionárias.



Tags: CDC, consórcio, zero-quilômetro, motos, veículos pesados.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência