Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Autopeças perdem embalo por causa da economia e exportações

Balanço | 14/06/2019 | 14h03

Autopeças perdem embalo por causa da economia e exportações

Faturamento no acumulado até abril ainda revela alta, 7,6%, mas setor vem desacelerando desde junho do ano passado

MÁRIO CURCIO, AB

O faturamento do setor de autopeças de janeiro a abril registrou alta de 7,6% sobre iguais meses de 2018. No acumulado dos últimos 12 meses o crescimento é um pouco maior, 11,6%, mas as empresas do setor chamam a atenção para o fato de que desde junho de 2018, após a greve dos caminhoneiros, a comparação do faturamento em doze meses vem desacelerando, refletindo assim o baixo desempenho da economia brasileira e também a retração nas exportações para o mercado argentino. Os números foram divulgados pelo Sindipeças, entidade que reúne os fabricantes de componentes.

Em junho do ano passado, a variação acumulada em 12 meses indicava crescimento de 22,8% e a comparação interanual naquele momento (primeiro semestre de 2018 sobre o de 2017) revelava alta de 19,3%.

Voltando à análise do primeiro quadrimestre de 2019, as vendas externas ajudam a explicar a desaceleração, já que as exportações em dólar no período caíram 12,4%. E em reais subiram apenas 1,5%. O impacto nas vendas externas decorre da crise argentina, que reduziu suas compras no segundo semestre do ano passado e fez até regredir o déficit brasileiro na balança comercial de autopeças.

A análise dos principais canais de vendas mostra que o faturamento com as montadoras cresceu 8,6% sobre o primeiro quadrimestre do ano passado. Para o mercado de reposição esse aumento foi de 5,9%.

EMPREGOS E CAPACIDADE INSTALADA


Os dados do Sindipeças mostram que o emprego nacional no setor recuou 1,2% na comparação com o primeiro quadrimestre de 2019, embora indique pequena alta de 4,6% na variação acumulada em 12 meses. Os dados sobre a utilização da capacidade instalada mostram relativa estabilidade. Em abril ela alcançou 70%, 1 ponto porcentual a mais que em março.

A análise mês a mês dos números da entidade a partir do início do ano passado mostra que a utilização da indústria de autopeças teve um pico de 73% em fevereiro de 2018 e depois disso oscilou mais para baixo do que para cima dos 70%, jamais ultrapassando os 71%. A média nestes 16 últimos meses foi de 68,6% de utilização da capacidade instalada.



Tags: Autopeças, faturamento, Sindipeças, montadoras, exportações, capacidade instalada, empregos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência