Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Produção de veículos atinge melhor nível desde 2014

Indústria | 06/06/2019 | 17h39

Produção de veículos atinge melhor nível desde 2014

Em cinco meses fábricas no Brasil produziram 1,24 milhão de unidades, em alta de 5,3%

PEDRO KUTNEY, AB

A alta de 12,5% nas vendas domésticas de veículos nos primeiros cinco meses do ano mais que compensou a queda de 42% nas exportações, sustentando o crescimento de 5,3% na produção de automóveis, utilitários, caminhões e ônibus no País entre janeiro e maio, na comparação com o mesmo período de 2018. Foram fabricadas 1,24 milhão de unidades, o melhor resultado acumulado deste 2014, segundo balanço divulgado na quinta-feira, 6, pela associação que reúne os fabricantes, a Anfavea.

Foi também o maior nível mensal de produção registrado desde agosto do ano passado e o melhor maio desde 2014, com 275,7 mil veículos produzidos, em alta de 3,1% sobre abril e de quase 30% ante o mesmo mês de 2018. O crescimento porcentual expressivo é devido à greve dos caminhoneiros ocorrida há um ano, que provocou falta de peças e paralisou por cerca de oito dias as linhas de montagem em todo o País.



- Faça aqui o download dos dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



Apesar do resultado positivo até aqui, as exportações em queda estão puxando para baixo as estimativas da Anfavea de produção total de veículos este ano. A entidade projetou no início de 2019 a fabricação anual de 3,14 milhões de unidades, que corresponderia à alta de 9% sobre 2018.

“A baixa nas exportações deve afetar a produção e é possível que o crescimento de 9% que projetamos para este ano seja menor, em torno de 5%”, admite Luiz Carlos de Moraes, presidente da Anfavea.



Moraes também alertou que a ociosidade geral da indústria permanece alta, em torno de 40%. “Aumentar as exportações são o melhor caminho para ocupar as linhas de produção”, avalia, levando em conta que a fragilidade da recuperação econômica no Brasil pode não ser suficiente para sustentar por muito mais tempo o crescimento do mercado interno.

NÍVEL DE EMPREGO CAI



Com 130 mil empregados registrados em maio, o nível de emprego em todos os fabricantes de veículos recuou 1,8% na comparação com o número de um ano atrás. A pequena contração é debitada quase que integralmente ao anunciado fim das operações da Ford em São Bernardo do Campo (SP). A montadora já iniciou o processo de demissões na unidade, que até o encerramento das atividades previsto para novembro podem chegar a mais de 2 mil pessoas, e também leva adiante plano de demissões voluntárias na fábrica de motores de Taubaté (SP), que resultou em 160 desligamentos na planta.

Com as exportações apontando para baixo e mais da metade das vendas internas apoiadas em negócios corporativos (faturamento direto a frotistas, locadoras e pessoas com deficiência), em algum momento a produção pode começar a recuar, provocando novas reduções de mão de obra na indústria. É o caso, por exemplo, da Toyota, que após abrir o terceiro turno em novembro na unidade de Sorocaba (SP), este mês lançou programa de demissões voluntárias com meta de cortar 340 funcionários do quadro. A planta está sendo afetada pela queda de embarques à Argentina e a empresa trabalha com possível arrefecimento do mercado doméstico.



Tags: Anfavea, balanço, produção, indústria.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência