Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Déficit na balança de autopeças cai 42,4% no trimestre

Balanço | 06/05/2019 | 18h31

Déficit na balança de autopeças cai 42,4% no trimestre

Período foi marcado por forte redução na importação de componentes

REDAÇÃO AB

A balança comercial de autopeças encerrou o primeiro trimestre com déficit de US$ 922,8 milhões, valor 42,4% mais baixo que o anotado no mesmo período do ano passado. O resultado decorre de uma forte queda de 21,8% nas importações no período (US$ 2,7 bilhões), motivada pela lenta recuperação da atividade interna e pela volatilidade e nível da taxa de câmbio, além da maior localização de componentes e suspensão da emissão de certificados de origem pelo governo mexicano, dentro do Acordo de Complementação Econômica. As informações são do Sindipeças, sindicato que reúne fabricantes do setor.



- Faça aqui o download dos dados do Sindipeças
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência





Dos 20 países que mais vendem autopeças para o Brasil, 16 registraram queda ante o primeiro trimestre de 2018. As entregas da Alemanha, segundo maior fornecedor, caíram 21,5%. Países como Estados Unidos, México, Coreia do Sul, Itália, França e Suécia anotaram quedas superiores a 30% cada um. A China, maior fornecedora ao Brasil, recuou apenas 3,2%. O motivo para a queda menor seria o fluxo de peças para produção de automóveis Caoa Chery.

EXPORTAÇÕES TAMBÉM CAEM


As exportações no trimestre somaram US$ 1,8 bilhão e recuaram 4,4% no período em razão da retração do mercado argentino. As vendas ao país vizinho caíram 41,3% no trimestre ao somar US$ 344,6 milhões.

Como consequência, os Estados Unidos se consolidam como maior destino, para onde o Brasil enviou US$ 392,8 milhões em autopeças. O total é 13,4% maior que o anotado em igual período do ano passado e corresponde a mais de 20% de todos os componentes enviados pelo Brasil ao exterior.

Também chamam a atenção os embarques para o México, terceiro maior destino, com US$ 228,6 milhões embarcados e crescimento de 29,4%. O Brasil também aproveita o momento para ampliar exportações de componentes para países próximos como Chile (US$ 82,7 milhões e alta de 50,4%) e Colômbia (US$ 60,4 milhões e crescimento de 42,8%).



Tags: Autopeças, Sindipeças, exportação, importação.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência