Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Caminhões com 16 anos ou mais são um quarto da frota

Conjuntura | 26/04/2019 | 21h09

Caminhões com 16 anos ou mais são um quarto da frota

E mais da metade deles têm entre 6 e 15 anos de vida, como aponta novo estudo do Sindipeças

MÁRIO CURCIO, AB

Um quarto dos caminhões do Brasil está com 16 anos ou mais. E 55% da frota tem entre 6 e 16 anos de vida. Os números fazem parte do novo Relatório da Frota Circulante divulgado pelo Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores). Ainda de acordo com o estudo, 19% desses veículos têm até cinco anos de idade. Como resultado, a média etária dos caminhões encontrados é de 11 anos e 4 meses.



- Faça aqui o download dos dados do Sindipeças
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência





Essa média era de 11 anos em 2017 e só não é mais alta atualmente por causa do agronegócio, que favorece desde 2018 a retomada nas vendas do segmento de caminhões para o transporte de grãos. De acordo com a projeção do Sindipeças, a média de idade estará em quase 12 anos até o fim de 2020.

A frota de ônibus também envelhece. Como exemplo, de 2017 para 2018 passou de 10 anos e 1 mês para 10 anos e 4 meses. E quase 60% desses veículos têm entre 6 e 15 anos. De acordo com o Sindipeças, a média estará próxima a 11 anos até o fim do ano que vem.

Os anos de recessão também resultaram no envelhecimento dos automóveis. De acordo com o Sindipeças, a média etária subiu entre 2015 e 2018 de 8 anos e 11 meses para 9 anos e 7 meses e estará em 10 anos até o fim de 2020. É verdade que 27% deles têm até 5 anos, mas outros 18% estão com 16 ou mais. A idade dos comerciais leves avançou mais lentamente desde a metade da década, é mais baixa que a dos automóveis e está atualmente em 7 anos e 11 meses.

A crise também foi cruel com nossa “sambada” frota de motocicletas, atualmente com 7 anos e 9 meses em média. E 60% delas estão com 6 a 15 anos de idade.

IMPORTADOS: PARTICIPAÇÃO PRÓXIMA A 15%


O Relatório da Frota Circulante do Sindipeças revela que a participação dos importados caiu entre 2015 e 2018 apenas 0,5 ponto porcentual (de 15,1% para 14,6%). O levantamento de 2018 indica a presença de 6,5 milhões deles no País, ante 38,2 milhões de nacionais.

A participação pode se manter estável ou com baixo crescimento nos próximos anos. Embora não haja mais sobretaxação nem restrição de cotas como ocorreu durante o Inovar-Auto, a desvalorização do real vem prejudicando o desempenho desse mercado.



Tags: Caminhões, ônibus, automóveis, comerciais leves, motos, importados.

Comentários

  • Marcos

    Deveriatirar esses caminhões velhos das ruas e estradas só servem para poluir demais, gastar não atingem uma velocidade compatível não aguentam peso ou seja já deu o que tinha que dá

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência