Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Lifan trará carros da China até o mercado se recuperar

Indústria | 06/03/2019 | 17h46

Lifan trará carros da China até o mercado se recuperar

Produção uruguaia poderá voltar com retomada das vendas no Brasil e Argentina

MÁRIO CURCIO, AB

Após reportagem publicada por Automotive Business sobre a fábrica uruguaia da Lifan paralisada desde junho de 2018, a empresa divulgou comunicado oficial alegando a intenção de retomar a montagem se houver recuperação dos mercados brasileiro e argentino. No entanto, enquanto isso não ocorre, a empresa admite que a melhor opção é mesmo trazer os carros montados da China.

“Nossa fábrica no Uruguai só é viável economicamente com volume e estabilidade de produção, o que infelizmente não acontece desde o segundo semestre do ano passado”, argumenta o novo presidente da Lifan do Brasil, Kevin Lau.



Ele já comandava a operação da montadora no Uruguai e assumiu a Lifan do Brasil em fevereiro de 2019, no lugar de Johnny Fang que retornou à China. Segundo Lau, a queda nas vendas da Lifan nos dois maiores mercados da região obriga a direção da empresa a manter a produção parada. Os funcionários, pouco mais de 100, cumprem licença remunerada com auxílio do governo uruguaio.

O novo presidente da Lifan do Brasil afirma que mesmo com a implementação do Rota 2030, que permite importação de veículos da China sem cotas ou sobretaxas (diferentemente do que ocorreu no Inovar-Auto), a fábrica uruguaia ainda é a melhor opção por enquadrar os carros no regime do Mercosul. Lau diz também que a Lifan continua trabalhando para lançar o SUV X70 este ano, mas não revela quando.



Tags: Lifan, Uruguai, X70, X80, Kevin Lau.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência