Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Grupo Volkswagen deve bater novo recorde de vendas

Balanço | 14/12/2018 | 20h54

Grupo Volkswagen deve bater novo recorde de vendas

Montadora caminha para 10,8 milhões de unidades até o fim de 2018

REDAÇÃO AB

A transição na Europa para o novo método WLTP de homologação de emissões e consumo, somada à retração no mercado chinês, voltou a prejudicar as entregas do Grupo Volkswagen em novembro. No acumulado do ano, no entanto, as vendas mundiais totalizaram 9,9 milhões de veículos e crescimento de 1,8%. Essa alta tende a encolher para cerca de 1% nos 12 meses, mas mesmo assim a companhia chegará a cerca de 10,8 milhões de veículos, superando por pouco o recorde anotado em 2017, de 10,7 milhões.

“Estamos confiantes em conseguir terminar o ano ligeiramente acima do nível recorde do ano passado, apesar do cenário adverso em alguns mercados”, afirma o líder de vendas do grupo, Christian Dahlheim.



O acumulado de vendas no Velho Continente indica pouco mais de 4 milhões de veículos e crescimento também de 1,8% na comparação interanual. Na porção ocidental do continente, os 3,3 milhões de unidades apontam crescimento ainda menor, 0,6%, o que indica a possibilidade de reversão para queda com o acumulado dos 12 meses.

No mercado chinês, as 399,5 mil unidades entregues em novembro levaram a uma retração de 7,3% ante o mesmo mês de 2017. O resultado ainda reflete os problemas comerciais com os Estados Unidos. No acumulado do ano foram vendidos na China 3,8 milhões de veículos do Grupo Volkswagen, apenas 2,2% acima do anotado em iguais meses de 2017.

Na América do Norte persiste uma pequena queda de 1,4% no acumulado do ano, com 872,3 mil unidades do grupo vendidas de janeiro a novembro. Essa retração decorre do declínio nas vendas mexicanas. O desempenho dos Estados Unidos também foi fraco. A análise isolada daquele mercado mostra 578,8 mil veículos do Grupo VW entregues até novembro e crescimento de apenas 2,7% na comparação interanual.

Na América do Sul foram anotadas 541,3 mil unidades do grupo e crescimento de 12,1%. Apesar da crise argentina, as entregas no Brasil mantiveram a alta para toda a região. O mercado brasileiro absorveu sozinho 364,6 mil veículos da companhia, crescendo 28,7%.

VOLKSWAGEN CRESCE POUCO E QUEDA DA AUDI SE ACENTUA


Os resultados por marca mostram que a entrega de automóveis Volkswagen somou 5,7 milhões de unidades e cresceu apenas 1,2%. E a Audi, a segunda maior em volume, teve 1,66 milhão de automóveis entregues e recuou 2,4% na comparação com o período janeiro-novembro de 2017. A retração reflete as dificuldades da marca tanto na Europa como na Ásia e tende a se aprofundar no acumulado dos 12 meses, já que até outubro a queda era de menos e 1%.

O melhor desempenho entre as marcas de volume foi da Skoda, que repassou 1,1 milhão de veículos em 11 meses e cresceu 5,1% na comparação interanual. A Seat se aproximou de 500 mil veículos e anotou alta e 13,1%. Ficou para a MAN o melhor desempenho entre as montadoras de veículos pesados, com 124 mil unidades e crescimento de 21,3%.

Veja abaixo os resultados por região e marca:




Tags: Volkswagen, Grupo Volkswagen, vendas mundiais, Christian Dahlheim, Audi, Skoda, Seat, MAN.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência