Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Queda de exportação aumenta com situação pior na Argentina

Indústria | 06/12/2018 | 18h55

Queda de exportação aumenta com situação pior na Argentina

Anfavea reconhece que não será possível atingir projeção de exportar 700 mil veículos

PEDRO KUTNEY, AB

A retração a cada mês maior do mercado na Argentina, para onde seguem cerca de 70% dos veículos vendidos fora do Brasil, deve reduzir em mais de 100 mil unidades as exportações dos fabricantes, para fechar o ano com recuo de 15% na comparação com o recorde de 766 mil veículos exportados em 2017. A Anfavea, entidade que reúne as montadoras instaladas no País, admite que será muito difícil atingir a projeção de exportar 700 mil em 2018, rebaixando o número para algo entre 600 mil e 650 mil.



- Faça aqui o download dos dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



Em 11 meses foram exportados 597,4 mil veículos, o que resulta em queda de 15,3% sobre o mesmo período do ano passado. Em novembro os embarques somaram 34,3 mil unidades, com recuo de 11,3% em relação a outubro e expressiva retração de 53% sobre o igual mês de 2017, comprovando que o declínio das vendas externas está se intensificando ao longo de 2018.

“Tivemos uma reversão de expectativa muito grande por causa da Argentina, que é responsável por quase toda a queda das exportações este ano. Começamos 2018 acreditando que bateríamos novo recorde, depois reduzimos a projeção para 700 mil unidades, mas a estimativa mais realista é de 600 mil a 650 mil”, afirma Antonio Megale, presidente da Anfavea.



A aposta, segundo o dirigente, é que a situação na Argentina só volte a melhorar a partir do segundo semestre de 2019. Por isso as projeções de exportações para o ano que vem seguem cautelosas. Ainda que as empresas associadas à Anfavea estejam em busca de ampliar as vendas em outros mercados na América Latina, nenhum é tão grande para compensar toda a retração do país vizinho.

“Os fabricantes entendem que precisam complementar suas vendas com exportações, assim todos estão em busca de novos negócios. Mais mercados na África e Oriente Médio estão sendo abertos e até alguns pouco usuais, como uma recente venda de 5 mil caminhões para a Russia”, destacou Megale.

VALOR EXPORTADO TAMBÉM CAI



Em valores, as exportações dos associados da Anfavea, que incluem veículos, máquinas agrícolas/rodoviárias e componentes, de janeiro a novembro somam US$ 13,8 bilhões, em queda de 5,2%. O resultado dos exportadores de máquinas é melhor, alta de 15,2%, totalizando US$ 3,1 bilhões, enquanto as montadoras de veículos faturaram US$ 10,6 bilhões em 11 meses, valor quase 10% menor do que o obtido no mesmo período de 2017.

“Não é desprezível, é um bom valor. Está abaixo do registrado no ano passado, mas fica acima da média de US$ 12 bilhões/ano verificada nos últimos 10 anos”, pondera Megale.



Tags: Anfavea, exportação, indústria, mercado, produção, queda, projeção.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência