Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Faturamento das autopeças cresce 19,2% até setembro

Balanço | 27/11/2018 | 19h39

Faturamento das autopeças cresce 19,2% até setembro

Fornecimento às montadoras e exportações ditam o ritmo do setor

REDAÇÃO AB

O faturamento da indústria de autopeças registrou alta de 19,2% no acumulado de janeiro a setembro sobre o mesmo período do ano passado. O bom desempenho do setor decorre especialmente do fornecimento às montadoras e exportações. Os dados foram divulgados pelo Sindipeças, entidade que reúne os fabricantes do setor.



- Faça aqui o download dos dados do Sindipeças
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



As entregas às montadoras, que respondem por mais de 60% do faturamento, aumentaram 19,3% de janeiro a setembro na comparação interanual. E as exportações, que detêm fatia próxima a 20% das vendas, cresceram 29,5% quando analisadas em reais e 14,3% pela moeda americana.

O mercado de reposição cresceu menos, 8,6%, mas ainda responde por uma fatia próxima a 15% de tudo o que a indústria de autopeças fatura no Brasil. É um segmento essencial para as fabricantes de autopeças, já que a frota circulante supera os 56 milhões de unidades e tem idade média acima dos nove anos (próxima a 11 anos quando se trata de caminhões).

O menor número de dias úteis em setembro e as eleições ainda indefinidas naquele mês acabaram reduzindo o faturamento em 11,3% ante agosto e também baixando de 71% para 67% a taxa de utilização da capacidade instalada, mas a média anual está em 69,5%. E o emprego nacional na indústria de autopeças cresceu 9% sobre os mesmos nove meses de 2017.



Tags: Autopeças, faturamento, exportações, montadoras, reposição, frota circulante.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência